Por que Misao me matou de susto e depois me matou de rir

Misao+from+the+game+misao_7566ca_4462920

“MORRA VIRGEM”


A história de uma protagonista chamada Marcela e como ela é a maior babaca de todos os tempos.

Yaho!

Ufa… Quase final do semestre. Bom, eu disse quase.

Não sei se lembram, mas meu curso é da área de exatas, o que é basicamente ame ou deixe-o. Pra piorar, a universidade tá meio que de greve e de vez em quando a galera fica aplaudindo o sol enquanto tranca todos os portões e não deixam ninguém assistir aula. Então, digamos que está tudo tão cagado quanto o arco de Mother Rosario foi. Porém, no meio tempo em que a galera aplaude o sol, jogo incríveis e horríveis joguinhos na faculdade! Nessas aventuras de autodescobrimento achei… Misao.

Misao? Você quis dizer “missão”

largeNão, foi Misao mesmo. Mas obrigada, Google!

Então, a história é a seguinte. Não, pera, não a do jogo, a de como conheci ele! Essa é uma das melhores partes.

Acredito que tenha ficado bem explícito por aqui que eu sou péssima com jogos e filmes de terror e me assusto com muita facilidade. Então, meus amigos da faculdade (os reais, não os meu imaginários) resolveram me fazer jogar esse jogo estilo RPG Maker chamado… Misao. Não o suficiente essa tortura, eles colocaram o MEU nome como o nome da protagonista. Pra falar a verdade, o jogo ficou ainda mais divertido assim. Pois bem, vamos falar da história da Marcela e da sua amiga Misao…

Marcela e Misao são grandes amigas. Porém, um certo dia, a Misao some. Meses depois ninguém achou a menina e ninguém sabe o que aconteceu. Na escola, todos estão falando da “maldição da Misao”, já que ela sumiu do nada. Sem explicação nenhuma, Marcela e seus amigos e inimigos e o professor pedófilo (ops, spoiler) são teleportados pra escola deles, só que em outra dimensão. E agora, cabe a Marcela salvar seus amigos e, mais do que isso, libertar a Misao do seu eterno sofrimento…

"Ops! Esqueci de salvar a Yoshino... Hehehe!"

“Ops! Esqueci de salvar a Yoshino… Hehehe!”

Isso é… Se ela não se esquecer de salvar mais ninguém.

Calma, explica melhor. Afinal, o que é esse jogo?

O jogo foi feito em um programa semelhante ao RPG Maker e funciona como um jogo de terror, supostamente. Se você jogou Corpse Party, é algo bem parecido: você controla seu personagem e sai interagindo com objetos – de vez em quando avança na história e de vez em quando aquele papel no chão te mata sem motivo algum. Criado por um japonês (óbvio) chamado Sen, Misao tem três versões: a primeira lançada em 2011, a segunda lançada no mesmo ano alguns meses depois e a terceira versão lançada em 2014. Novos finais foram adicionados, bugs corrigidos, etc.

Só que, como eu disse: supostamente isso é um jogo de terror. A premissa toda dá indícios disso. Inclusive, algumas cenas me fizeram quase pular da cadeira…

5Enquanto outras simplesmente quase me fizeram cair da cadeira de tanto rir que pensei que meus rins iam saltar fora.

"Marcela se assustou com o telefone e bateu a cabeça na parede, dando seu suspiro final..."

“Marcela se assustou com o telefone e bateu a cabeça na parede, dando seu suspiro final…”

Sabe, antigamente eu tinha medo de atender o telefone, mas nunca pensei que fosse morrer por causa dele.

Esse, então, é o diferencial de Misao. Mais do que um jogo de terror, é um jogo de terror… classe B. Sabe, como um filme de terror classe B, com baixo orçamento. Não que o baixo orçamento seja uma desculpa nesse caso – afinal, todos nós conhecemos incríveis obras feitas com a menor quantidade de recursos possível. O fato é: Misao foi feito “zoado” desse jeito de propósito, o que torna a experiência ainda mais divertida.

Por exemplo – você é jogado em outra dimensão e completamente perdido. Entra uma garota na sala e diz “Acabei de ver alguém sendo morto na minha frente”, em tom de desespero. O que a Marcela diz?… “Eewww! Nunca mais vou comer hambúrguer!

nunca mais vou comer hambúrguer

nunca mais vou comer hambúrguer
nunca mais vou comer hambúrguer

Não acabou ainda. Viram a imagem do telefone ali em cima? Pois é… Se você passar na frente do telefone, realmente dá Game Over. Seu personagem MORRE com o susto do telefone. Ressaltando que, dependendo do rumo que tomou, provavelmente acabou de matar um zumbi com um extintor de incêndio, mas o telefone foi tão assustador que a Marcela não conseguiu evitar de bater a cabeça na parede e morrer tragicamente.

A da Yoshino? Você vê sua amiga/inimiga amarrada numa mesa de cirurgia, te avisando pra tomar cuidado que um monstro vai voltar. Dito e feito, o monstro logo surge… Mas caminhando devagar. Hora de salvar a Yoshino!… Ou será que não?

Na verdade não adianta interagir com a Yoshino, você não pode salvar ela. A Marcela se esconde em um cadáver, parecido com o Luke Skywalker fez pra não morrer de frio. Após o monstro desaparecer (sem explicação), a Yoshino obviamente está lá morta, cortada em picadinhos. O que a Marcela diz?

"Ops! Esqueci de salvar a Yoshino... Hehehe!"

“Ops! Esqueci de salvar a Yoshino… Hehehe!”

ops, esqueci de salvar a yoshino, hehehehe

hehehehehehe
hehehehehehehehehhe

QUALÉ, MARCELA! QUALÉ!

… Caham. Essas são apenas algumas das perólas que Misao pode oferecer pra vocês. Em uma rota após você zerar o jogo, tem a possibilidade de salvar todas essas pessoas que inevitavelmente a Marcela deixou pra morrer. Na hora de salvar a Yoshino, você vê várias Misaos batendo nela, já que a Yoshino foi uma filha da puta com a Misao. Rápido, Marcela, você tem que impedir ela antes que a Yoshino morra! De novo!

"Olha, Misao, dinheiro!"

“Olha, Misao, dinheiro!”

É isso aí, Marcela! Joga moedas que você tirou do vaso sanitário na sua melhor amiga fantasma pra impedir que ela mate a guria lá! 

Esses prints são apenas algumas das cenas maravilhosas que você vai encontrar se jogar Misao – que, aliás, tem uma versão traduzida pro português!

Vamos comparar com SAO, coisa que eu adoro fazer: enquanto Misao é propositalmente ridículo ao ponto de ser engraçado e sem noção, SAO consegue fazer isso involuntariamente. Peguem todas aquelas coisas absurdas, como o arco Mother Rosario, e joguem isso como um recurso de história. Foi exatemente isso que Misao fez e é por isso que o jogo é absolutamente perfeito. Imaginem pegar um jogo de terror, já se preparando com uma fralda bem amarrada pra aguentar todas as cagadas que você vai dar ao tomar um susto, pra então se deparar com coisas cada vez mais absurdas – como um carro surgindo em um banheiro e depois parindo pernas.

Então, Misao é…

Misao_and_AkiCom esse momento da indústria de jogos cada vez mais focada em histórias deep, gráficos de altíssima qualidade feitos especialmente pra fritar os computadores, pegar uma jóia como Misao faz você perceber o quanto sente falta desse desenvolvimento maroto, feito com samba no pé e amor no coração. Ao invés de gastar 50 milhões de dólares pra fazer algo que pouco entretém, com alguns poucos dinheiros no bolso e criatividade acima de tudo, jogos incríveis nascem.

Misao não é mal feito. Na verdade, ele foi feito pra ser mal feito e parecer tão ruim que chega ser bom. O que é basicamente o contrário dos jogos de hoje em dia, que são feitos tão bons que são ruins – bom, não todos claro. Porém, criar jogos tá ficando, ou melhor, é uma prática cada vez mais mecânica e menos criativa, menos… Ah, sem querer soar clichê, mas menos do coração. Tudo bem que não parece certo eu jogar um papo sério desses em um post sobre o jogo mais ridículo já testemunhado, mas não é assim que os jogos tem que ser feitos? Só com aquela ideia e “sei lá, pode ser legal”. Aposto que o criador de Misao não passou 5 anos desenvolvendo isso. Mas ainda é melhor do que esses mesmos jogos de 5 anos de desenvolvimento e 50 milhões de dólares.

Enfim, o que eu quero dizer com tudo isso é… Misao não é a vilã. O Professor não é o vilão. A verdadeira vilã é a Marcela, essa filha da puta que mata todo mundo sem remorso e não come hambúrguer.

"Ops! Esqueci de salvar a Yoshino... Hehehe!"

“Ops! Esqueci de salvar a Yoshino… Hehehe!”

 

 

Advertisements

3 thoughts on “Por que Misao me matou de susto e depois me matou de rir

  1. Hehe isso me lembrou a velha epoca dos jogos de rpg maker, já zerei dezenas deles, se você quiser uma comedia sem noção igual a essa recomendo a trilogia “Rigar”, uma comedia nosense exelente feita em rpg maker a bastante tempo, tem um total de 3 jogos completos um melhor e mais engraçado que outro, se for baixar recomendo jogar na ordem pela continuidade da história que é otima, com todos os personagens muito bem trabalhados, e casa um com uma personalidade estranha diferente.

  2. “Misao não é a vilã. O Professor não é o vilão. A verdadeira vilã é a Marcela, essa filha da puta que mata todo mundo sem remorso e não come hambúrguer.” Droga… Ela realmente não come hambúrguer? Pior protagonista hahahhaha’

  3. Pingback: A hilária história de Misao | My Favorite Things

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s