Qual o propósito desse anime?

aH9Jk31As vezes você só quer ver a personagem da Yukari Tamura e da Nana Mizuki se beijando.

Yaho!

Conversando com alguns amigos, pensei em uma proposta um pouco diferente pros meus próximos posts. Fazê-los mais de opinião, mais curtos e concisos, com bastante espaço para discussão.

Então, ao invés de uma review de Cross Ange, ou de tantos outros animes, vou trazer um tópico mais abrangente: o propósito com o qual vem o anime. Qual a intenção do diretor com aquela obra? Sentem na mesa, peguem um milkshake de flocos e vamos discutir a respeito.

O propósito é?…

wpid-Commie-Cross-Ange-Tenshi-to-Ryuu-no-Rondo-01-2C643122.mkvCross Ange.

Não tenho palavras o suficiente pra descrever esse anime. Acho que não existe uma palavra no dicionário pra descrever o que eu sinto com esse anime, o que qualquer pessoa sente assistindo esse anime. É uma mistura de sensações que só a deusa Nana Mizuki e um elenco de dubladoras AAA+ pode trazer. Com certeza muitos de vocês passaram e esbarram nesse anime, não entenderam bulhufas, viram que a Nana Mizuki sofre fisting anal no primeiro episódio e desistiram.

Eu entendo. Entendo perfeitamente. Acho que qualquer pessoa normal faria isso.

Mas depois de pensar, de rir, chorar, e ficar com pena da Nana Mizuki eu continuei assistindo – e vou dizer uma coisa pra vocês: só piora. Só. Piora.

A Nana Mizuki se ferra muito. É quase estuprada por uma lésbica, apanha de todo mundo, fica caindo com a preciosa dela no rosto de um cara, quase é executada, anda por aí nua e nem liga. É impressionante a quantidade de barreiras que esse anime consegue quebrar, e a seriedade na atuação de todas as dubladoras – estamos falando dele: Nana Mizuki, Yukari Tamura, Yui Horie, Eri Kitamura, Mamoru Miyano… E outras mais. OUTROS mais. Se você assiste anime há algum tempo conhece alguns desses nomes, nem que seja o da Nana Mizuki, uma das cantoras mais famosas (se não a mais famosa) do Japão. E ela dubla a personagem principal de Cross Ange com todo gosto.

Tudo bem, tudo bem. Falei que só do anime, mas como disse: não é uma review dele que estou fazendo. É apenas o maior exemplo que posso citar de “propósitos”.

Commie 001438Então.

Qual vocês acham que é o propósito de Cross Ange? Eles juntaram um dos melhores elencos possíveis, tem apenas o estúdio da SUNRISE fazendo – claro, é um anime de mechas. Eles tem tudo na mão pra fazer aquele anime que os críticos elogiam, cult, etc, etc…

Mas não. Fizeram um anime trashzão, trash MESMO, com uma história até que boa, personagens legais e claro, Nana Mizuki e Yui Horie cantando. Mas tem tudo de “vulgar” (se assim quiserem chamar) possível, ultrapassando o que chamamos de fanservice para algo simplesmente expositório. E, claro, muita gente usou todos esses argumentos para não assistir o anime e dizer que foi ruim.

Mas… Será que foi ruim mesmo?

Será que o propósito desse anime não foi apenas dar essa diversão pras seiyuus, pra produção, fazer algo nos limites do que pode ser transmitido na televisão, sem muito compromisso? Passar algo que as pessoas fiquem incrédulas, agradar os fãs dessas dubladoras e mostrar um dos maiores shipps acontecendo ali (Nanoha e Fate), mesmo que só por uma cena.

O propósito de Cross Ange nunca foi ser sério. Foi exatamente fazer algo extremamente ridículo e inacreditável, mas com seriedade nos personagens de maneira que você “meu deus do céu Nana Mizuki, como você conseguiu gravar essa cena?!”. E quando você assiste com essa ideia, ele realmente se torna divertido. Claro, não estou dizendo que obrigatoriamente deve satisfazer o gosto de alguém – afinal, gosto é gosto, mas não torna o anime RUIM, e não gostar ou ser ruim são coisas bem diferentes.

No meu post de Symphogear e sobre a arte do exagero nos animes, falei algo semelhante, mas um pouco mais restritivo. Porém, muitas ideias de lá se aplicam ali: as vezes o anime vem com esse propósito de ser exagerado, de ser estranho, de ser absurdo.

Indo um pouco mais para algo polêmico e que muita gente reclama, inclusive os otakus que acabaram de se tornar mais “cults” e assistiram algo diferente: battle shounens.

cross19_premux_001_21136As pessoas adoram criticar battle shounens, dizer que eles são repetidos. Eu mesma fazia isso. Porém, hoje em dia leio One Piece e me divirto igual uma criança. Consigo assistir Naruto (pelo menos até a luta do Hidan com o Azuma) e me divertir bastante também. Porque, mesmo sabendo que o protagonista quase sempre vai ganhar, se perder vai ter arco de treinamento e etc, o mangá não se torna ruim por isso. O anime também não se torna ruim por isso (apesar da animação da Toei ser aquela coisa famosa…).

O propósito dos battle shounens é ir pra esse público infantil, mostrar a importância da amizade, da determinação e da coragem. É trazer empolgação durante uma luta, por mais óbvio que seja o resultado final. É gritar junto com o personagem e socar no ar quando ele acerta um golpe!

Claro, tem exemplos de battle shounens que extrapolam a sua duração e acabam se tornando monótonos (Bleach e Naruto são bons exemplos) e nesse caso realmente se tornam ruins, porque os personagens começam a ser mal aproveitados e a história também começa a ficar enjoativa. Mas isso já entra pra outro fator, que são as editoras pressionando os autores para produzirem mais conteúdo.

saliaMahou Shoujos também seguem uma espécie de fórmula. Sim, todos sabemos que Madoka foi além disso e “desconstruiu” o gênero ou seja lá como queiram dizer, mas Madoka é Madoka e com deus não se brinca. Porém, eles giram em torno de uma ideia central de um grupo de garotas com poder e provavelmente um cara pelo qual a protagonista se apaixona. Vão ter brigas no grupo, o poder delas aumenta, elas derrotam o vilão da semana e por aí vai. Tokyo Mew Mew, Sailor Moon… Sakura Card Captors mesmo, apesar de ter os toques mais metafísicos e dramáticos da CLAMP. E de novo, eles não deixam de ser ruins por isso. Pode ser que você realmente não goste de Mahou Shoujo – aí, claro, paciência! É um tipo de obra com suas peculiaridades.

Não estou dizendo que todo mangá/anime é bom e apenas mal interpretado – SAO continua sendo o pedaço de lixo que é não importa com qual visão você vá assistir o anime, mas que as vezes aquele anime pro qual não demos uma chance pode ser bom. As vezes estamos esperando algo que não vamos conseguir assistindo ele. Você não pode esperar um romance complexo e bem desenvolvido em One Piece, Naruto, Bleach ou Fairy Tail. Você vai ver no máximo um triângulo amoroso pra deixar os fãs brigando, mas nada além disso. Você não pode esperar alguma ação relevante em um shoujo da vida e por aí vai.

É preciso assistir o anime tendo em mente o propósito dele e conseguir aceitar que aquele é o propósito do diretor, mangaká ou seja lá quem fez. As vezes você não gosta, paciência. Não estou te forçando a ver Cross Ange ou Symphogear. Porém, você deve deixar claro que não assistiu o anime porque ele não te agradou, mas isso não significa que ele seja ruim. One Piece pode não te agradar, mas convenhamos que é muito bom. Shigatsu wa Kimi no Uso não é ruim mesmo, pra mim considero um anime mediano – esperava mais, esperava alguma surpresa, mas foi aquela coisa previsível do primeiro episódio. Paciência, pra mim não é uma obra de arte da animação e, se quiser colocar em nota, fica um 5/10.

As vezes a gente só precisa tocar no anime no lugar certo, enxergar ele da maneira que foi prevista. Um shoujo não vai ter lutas, um shounen não vai ter história complexa ou grandes romances e SAO nunca vai ser bom. Aceitando a essência do gênero, você consegue aproveitar as obras com maior plenitude sem ficar preso num loop de só assistir coisas sérias e complicadas porque são “boas”. Você sai dessa falsa ideia de estar sendo “cult” por fugir do clichê. O anime não precisa ficar desconstruindo gêneros pra ser bom.

Exceto SAO. SAO nunca, nunca, NUNCA vai ser bom, porque a Sinon não é a protagonista.

VZ4p5JJ

tocar. no lugar. certo

Advertisements

3 thoughts on “Qual o propósito desse anime?

  1. Ótimo texto,adorei a forma com que você coloca esse problema que anda tendo nos “críticos” de hoje em dia. Mas deixando minha opinião sobre o tema: Em matéria de animes pra assistir por ser divertido, prefiro bem mais uma comédia besta do que um ecchi doidão, tem um objetivo parecido, que é só te entreter, mas por meu gosto pessoal, é bem mais legal, acho sempre vai acabar caindo no gosto pessoal da pessoal no fim das contas
    P.S:Uma coisa que acho que percebi porque sou meio doente: o texto é sobre o sentido, o objetivo de uma coisa, e o background do site é um cara que simplesmente não vê sentido em porra nenhuma, e ele está olhando pra tela. Ii-tan está julgando a todos nós nesse momento.

  2. Bem legal o texto, acho que é isso que falta para maioria das pessoas, não somente em animes, mas em todo tipo de mídia. Um bom exemplo é os jogos indies que às vezes são criticados por não ter gráficos bons, sendo que cumprem muito melhor a proposta deles do que os títulos AAA…
    Outra coisa que também acho que vale levar em consideração é o impacto que aquilo vai ter no seu “eu atual”… Eu concordo em algumas partes da sua review sobre Shigatsu wa kimi no uso. Achei que dar a mesma história de fundo da aquela menina que toca piano(não lembro o nome) para Kaori acabou com o fato “romance predestinado”, seria o clichê de sempre… Seria, mas é o que todo mundo espera. Do jeito que ficou, deixou parecendo que qualquer menina que viu a apresentação do Arima se apaixonou por ele…
    Porém, eu não consigo não gostar de Shigatsu, para mim ele vai ser sempre 10/10, mesmo tendo consciência desses defeitos porque ele caiu com uma bomba na minha vida, bem em um momento especifico. Só de ouvir o encerramento na minha playlist já me faz sentir/lembrar inúmeras coisa.

  3. Eu só acho que fazer uns animes desses é muito desperdício de tempo e dinheiro… Eu não consigo parar nem pra ver ou rever os animes “sérios” quanto mais assistir umas coisas dessas dai, na hora que eu li “fisting anal” eu tive que ver com meus próprios olhos pra crer. . Esse negócio de assistir a obra levando em conta a finalidade a qual ela foi produzida é uma grande besteira… Essas produtoras de anime de hoje só querem saber de ganhar dinheiro em cima desses monstros que elas criaram (otakus).
    Se fosse um ou outro anime por temporada com esse tipo de “proposta” eu até aceitaria alguns dos seus argumentos, mas de 100% dos animes que nós temos em uma temporada 70-80% deles é carregado com esse tipo de conteúdo sórdido que vemos nesse Cros Ange.
    Mas é bom agente nem reclamar porque eu sei que se ficarmos reclamando muito não vai ter anime é de gênero nenhum… por isso que nem dou muita ideia pra essas porcarias. O ultimo anime que eu assisti foi aslan senki e ainda levei alguns messes depois do lançamento de todos os episódios pra começar a assistir, pouco a pouco perdendo o espírito da coisa.

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s