REVIEW – Kidou Senkan Nadesico: a grande sátira a space operas

3867b4e3-096b-48f7-8dca-f2e305d3a2be_zps5152b2f7GAN-GAN-GAN-GAN GEKIKANGER V!

Yaho!

Após um retorno complicado ao mundo das postagens, está na hora daqueles reviews empolgados e de fazer o coração saltar de tanta emoção. É hora de falar de amor, comédia, intrigas, drama e MECHAS, muitos e muitos MECHAS.

Se eu estou falando de Gundam? Claro que não! Não sei nem por onde começar a franquia Gundam e todo dia meu backlog aumenta mais um pouco. Estou falando de um anime que é meu estilo: ele é algo e satiriza esse algo ao mesmo tempo. Isso mesmo, você adivinhou porque está no título do post, é hora de falar de Nadesico!

GAN-GAN-GAN Sinopse

26a9cec7441d7285459a414c48da1cb91317942543_fullNão sei bem se vocês já sacaram, mas é um anime de naves espaciais e mechas. Espero ter deixado isso bem claro.

Na verdade verdadeira, Nadesico é um anime sobre tudo. Não dá pra dizer que é uma comédia, porque tem drama. Não dá pra dizer que é de mecha, porque ao mesmo tempo que tem mechas, a coisa toda satiriza e ironiza os animes tradicionais de robô gigante. Eles pegaram todos os gêneros, enrolaram em uma bola gigante com bastante ligas elásticas e deu certo: tem comédia, tem romancezinho, tem drama, tem fofoca, tem sci-fi e viagens no tempo e muitos, muitos, muitos idiotas.

E a história? Então, considerando que o anime lançou em 1996, o anime se passa uns 200 anos no futuro, em 2196. Aquele tão sonhado desejo de expandir as fronteiras da Terra e colonizar a Lua e Marte foram realizados, estabelecendo colônias e condições habitáveis no satélite natural e no planeta. Só tem um problema, e ele se chama lagartos jovianos. Máquinas que simplesmente surgiram do nada e aparentemente autônomas, sem serem controladas por seres humanos, lançaram um ataque em Marte para destruir as colônias terráqueas, estabelecendo uma guerra especial entre a Terra e os chamados jovianos. De onde eles vem? Qual a ambição deles? No meio desse conflito tem o nosso protagonista, Tenkawa Akito, um humano nascido em Marte que está no centro de uma conspiração envolvendo a morte de seus pais, cientistas de Marte, junto com sua “melhor amiga” de infância, Misumaru Yurika, cujos pais, militares, e ela saíram de Marte bem antes dos pais do Akito morrerem misteriosamente. Aterrorizado pelos lagartos jovianos, mais de 10 anos depois Akito se vê prestes a ser morto por um deles quando de repente vai parar na Terra, só para acidentalmente virar piloto de um mecha na nave de batalha mais poderosa de seu tempo: a Nadesico.

Só tem um problema com tamanha nave espacial, a mais moderna e mais poderosa… Não sendo uma nave espacial, seus integrantes não são militares, ou seja, não tão disciplinados… Então eles são melhores no que fazem, mas apenas isso. Cada um é insano a sua própria maneira, seja sendo um otaku por mechas, ter fetiche por explicações ou simplesmente serem completos idiotas.

Conspirações, cientistas, guerra espacial e melhores amigos entre aspas. É só um resumo muito muito breve sobre todos os mistérios e segredos de Nadesico.

GAN-GAN-GAN Comédias espaciaisgrupo

A ideia de Nadesico é ser uma comédia espacial que satiriza as chamadas “space operas”, literalmente uma “ópera espacial”. Animes como Gundam, Getter Robo, Legend of Galactic Heroes… Aqueles bem cheios de drama e gente gritando enquanto pilota máquinas de destruição. Ao mesmo tempo que tira graça com isso tendo, por exemplo, um anime dentro de um anime chamado Gekiganger que é exatamente o estereótipo desses animes, Nadesico é uma ópera espacial, com uma história um pouco complexa envolvendo guerras intergaláticas e muitos elementos de sci-fi – só que faz tudo isso com pitadas de humor exagerado mas na medida certa.

Esse humor é a marca registrada da série, com algumas running gags como quando um piloto está no mecha, os personagens ficam falando um por cima do outro através do canal de comunicação com telas holográficas, normalmente em uma discussão e com outras conversas paralelas nada a ver. Cada personagem tem um traço de personalidade bem marcante, típico de comédias, para que ele seja explorado e possam extrair o maior número de piadas com isso. Como a capitã, Yurika, que não tem nada na cabeça além da sua paixão de infância, o Akito, mas ao mesmo tempo é uma excelente capitã. Ou as três pilotos de mecha, uma viciada em trocadilhos japoneses infâmes, outra que é tsundere demais pro próprio bem e outra que é simplesmente muito otaku e excêntrica. Apesar disso, as três são excelente pilotos, mesmo que não aparente.

multiclassingQuando você pensa em um anime com naves espaciais, pode vir em mente aquela tripulação séria a la Star Trek, cada um realmente um expert e com grandes níveis de seriedade e apenas um outro que se destaque pelo seu bom humor. Nadesico é exatamente o oposto – todos são expert, sim, os melhores mesmo, mas com quirks, aspectos pessoais tão extremos e incômodos que se não fossem tão bons, jamais seriam contratados. São poucos os realmente focados na missão ali e isso que torna tudo tão divertido. Quem diria que no meio de uma guerra, a nave toda fosse se reunir pra fazer um concurso de beleza e decidir quem seria a nova capitã da Nadesico? Ou então que a capitã se vestiria de coelho e junto com a operadora do sistema operacional da Nadesico, fizessem um programa infantil explicando como funciona a nave?

GAN-GAN-GAN Histórias espaciais

maxresdefault

ROBÔS GIGANTES!!!

Ah, mas não pensem que todo o charme da série está no seu carismático humor. É verdade que é um ponto importante, mas a construção e desenvolvimento de personagens, sempre de maneira sutil, junto com sua história que começa tão pequena e vai se expandindo são pontos chaves para a apreciação dessa obra. Como disse, ao juntarem um pouco de cada coisa, conseguiram fazer uma mistura de modo a não deixar nenhum aspecto sobrepôr o outro. Tem muita comédia, é verdade. Mas também não economizaram nos momentos que merecem ter certo drama, assim como cenas de ação e claro, elementos do sci-fi.

O mundo de Nadesico começa pequeno, com apenas uma missão: chegar a Marte e recuperar possíveis sobreviventes. Mas, durante a viagem e ao chegar lá, inúmeras perguntas vão surgindo e aquela conspiração que eu disse vai emergindo, na medida que personagens morrem (sim, pessoas realmente morrem quando são mortas nesse anime) e outros vão sendo introduzidos na história. O que parecia ser apenas uma pequena guerra envolve uma situação política muito mais complexa do que aquilo que a tripulação imaginava que seria. Sem falar dos plot twists! Vocês não imaginam o quanto essa série tem plot twists incríveis. Coisas que fazem você apontar pra tela, se jogar pra trás na cadeira e quase cair enquanto exclama: “SANTA RURI-RURI, EU JAMAIS IMAGINAVA QUE ISSO FOSSE ISSO E QUE FULANO FOSSE CICLANO E QUE-” 

Aliás, mencionei ali em cima guerras. Isso é um ponto muito importante em Nadesico e te faz pensar um pouco. Como a minha waifu, Hoshino Ruri, pesquisa no computador central da Nadesico – a história da humanidade é recheada de guerras. Pode não estar envolvendo seu país, mas está havendo uma guerra nesse exato momento. Até agora o Oriente Médio está em estado de conflito. O tratado de paz entre Coreia de Norte e Coreia de Sul nunca foi assinado, tecnicamente estão em guerra ainda. Entre outros inúmeros conflitos não resolvidos: guerras, guerras, guerras.

shot0014_17

ROBÔS GIGANTES!!!!!!!!!!

O anime mostra de maneira muito humana e interessante a perspectiva de cada personagem, com suas origens diferentes e modo de pensar diferente como eles visualizam a guerra. Tem uns que conseguem lutar empolgadamente, acreditando na sua justiça. Outros não facilmente aceitam que o conflito precise existir… De acordo com a progressão da história, esse conceito de guerra e de “luta pela paz” vai sendo questionado, devagarinho, mas vai. Ao mesmo tempo que você vai estar rindo feito um louco, poucos minutos depois vai estar com a mão no queixo, coçando a barba imaginária (no meu caso) e se questionando. Por isso que eu digo: Nadesico tem de tudo.Outro fator que sempre me faz recomendar esse anime é que ele não começa devagar. É chato quando você pega uma obra que é realmente boa, mas demora pra engrenar. O primeiro episódio já é cheio de perguntas e muita ação, pra quem gosta de um pouco de robôs gigantes socando outros robôs e máquinas! No terceiro episódio então, já tem um plot twist. SIM, no terceiro episódio! Nadesico fez isso antes de Madoka.

Aliás, já disse que tem robôs gigantes? É, robôs gigantes. Não estou falando daqueles robôs animados digitalmente, que se mexem igual animações de jogos de PS1, são robôs desenhados a mão, com explosões desenhadas a mão, aquele traço típico dos anos 90 que traz uma sensação nostálgica, como um filho adulto indo deitar a cabeça no colo da avó pra receber carinho.

E queria abrir um parênteses aqui rapidinho pra comentar sobre o protagonista, Tenkawa Akito… Posso?

Espera, eu que tô escrevendo esse post. Posso fazer qualquer coisa.

tipo escrever bem pequeno

ou escrever bem grande sem necessidade

Então, voltando ao assunto.

Martian Successor Nadesico AkitoEsse aqui é o Tenkawa Akito, protagonista. Tem aquele típico jeito: cabelo espetado, olhos grandes e queimando… Só que não é bem assim.

Algo muito especial nele é o fato de que ele é um protagonista… Bom, humano. O que vocês vão perceber se assistirem Nadesico, ou se já tiverem visto, é que ele grita muitoTipo, muito, muito mesmo.

M-m-mas, Marcela, e o que tem de especial em ele ficar gritando tanto? 

Então, fã nervoso, o fato dele gritar tanto mostra um pouco mais da… Humanidade dele, digamos assim. Pensa em animar, dar emoções pra um personagem 2D. Você tem que fazer isso da maneira mais verossímil possível, mas é uma tarefa complicada. Muitas vezes os personagens são criados, mesmo que não intencionalmente, com aspectos “pouco humanos”, um pouco mais perfeitos ou um pouco mais exagerados pra que as pessoas gostem deles. Mas o Akito – ele grita quando tá feliz, ele grita quando tá triste, com medo, com raiva… Ele se expressa, sabe? Da maneira mais forte que ele consegue encontrar.

Por exemplo, eu gosto de dançar. Não, sou não sou boa, não faço jazz, nem faço -mais- ballet. Só faço mexer as pernas, balançar os braços no ritmo da música e… É isso. Você sente aquela energia e aquela emoção, é autista demais pra falar, então procura alguma outra forma pra seu corpo libertar isso.

Voltando ao Akito, ele se expressa constantemente. Impulsivo demais pro próximo bem, na verdade. Ele não é um herói, não no começo e nem no fim. Ele tem muito medo de lutar e sabe disso, mas luta porque não vê outra opção. Então as vezes ele simplesmente foge dos problemas dele – e vai assistir anime. Não é parecido até demais com a maioria de nós? Isso que é simplesmente mágico nele, o quão incrivelmente simples pode ser – porque é humano, claro!

As vezes você vai ficar com raiva do Akito, pensar “Cacete, tu tá fazendo merda, para com isso”, até se tocar na situação em que ele está: tem trauma de lutar mas tá lá, em um robô gigante, arriscando a vida. Como você pode esperar que ele consiga ser racional? Na verdade o que nós não percebemos é que ele já está dando 100% de si naquele momento, só por não fugir o mais longe possível.

Ele não continua sendo um completo covarde até o fim, mas também não abandona esse lado por completo. O seu desenvolvimento é sutil e devagarinho você pode ir percebendo as diferenças no comportamento, até mesmo quando está lutando – muito menos nervoso. Mas, por exemplo, até pros episódios mais depois ele continua assustado. Os próprios personagens comentam e isso é muito legal de ver, porque parece mais real, sabe, ele mudar e as pessoas ao redor perceberem, junto com o telespectador.

Sem falar do seu relacionamento com a Yurika, que é absolutamente adorável. São amigos de infância, ela faz tudo por ele, ele sabe e não tá nem aí. Não é nem ser denso, é só que eles não se veem há muito tempo e ele não sente nada por ela. É um clichê ao mesmo tempo que quebra os clichês de amigos de infância se encontrando e “oh, fulano-kun” “a v-v-verdade é que eu sempre gostei de você!” e etc. Tipo shouj-

GAN-GAN-GAN GEKIGANGER V! (é a conclusão)

maxresdefault (1)TEM ROBÔS GIGANTES

TEM GAROTAS BONITAS

TEM CARAS BONITOS

TEM ROBÔS GIGANTES

TEM COMÉDIA

TEM DRAMA

O QUE VOCÊ AINDA ESTÁ ESPERANDO? LETSSSSSSSSS GEKIGAN-IN!

nadesico-1-3

Imagem real minha (a esquerda) e do Raigho (a direita)

Advertisements

2 thoughts on “REVIEW – Kidou Senkan Nadesico: a grande sátira a space operas

  1. Hum comedia exagerada com fortes emoções me fez lembrar de um de meus mangas favoritos “Eyeshield 21”, talvez eu veja esse “Nadesico”, vlw a review.

    Em troca vou te dar algumas indicações de animes de ficção cientifica ótimos e pouco conhecidos:

    1-Toward the Terra
    2-Space battleship yamato 2199
    3-Soukyuu No Fafner

    Esses são todos ótimos animes de ficção cientifica para quem curte o gênero de viagens espaciais com batalhas com alienígenas, vale a pena conferir.

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s