Revisitando a trilogia original de Ace Attorney e… TAKE THAT! Continua perfeita

Phoenix-Wright-51OBJECTION! Lá vem a Marcela falando de mais Ace Attorney!Yaho!

Falei que início de ano é bom pra começar coisas novas e recomeçar coisas antigas, não falei? Pois então, no final do ano passado/início desse ano, retomei um dos meus vícios favoritos: Ace Attorney: Phoenix Wright! Caso você não seja um fã hardcore do OtomeGatari, saiba que um dos meus primeiros posts no blog foi sobre Phoenix Wright.

Portanto, iniciando o segundo ano do OtomeGatari, vamos falar mais um pcou de Ace Attorney, após eu ter jogado o lançamento da trilogia original (vulgo, os melhores jogos) em HD que saiu para 3DS final de 2014. SIM, vale a pena comprar, são só 60 reais. OBJECTION! Sessenta reais por três jogos maravilhosos. Senhoras e senhores do júri, Vossa Excelência, hora de defender meu caso.

HOLD IT! Que história é esse de trilogia original, HD?

 

AA-Trilogy_Logo_R_FINAL-656x316

Se você é um perdido na vida e não acompanhou as notícias de Ace Attorney no melhor blog do assunto, também conhecido como OtomeGatari, a galera lá da CAPCOM lançou pra todas as regiões (americana, europeia e japonesa) uma versão remasterizada da trilogia original de Phoenix Wright, ou seja, os três primeiros jogos da franquia: Ace Attorney, Justice for All e Trials and Tribulations. Gosto de me referir como trilogia original porque são os três jogos que possuem o Phoenix como protagonista e enfim, deram início a tudo. É uma versão em HD, onde alguns bugs e erros nas falas foram corrigidos (mas você só percebe isso se for viciadão que nem eu e o @nachozcaoticus).

1-miles-bowbO jogo, custando 60 reais, foi lançado em mídia digital pra nós infelizes do Ocidente, na eShop da Nintendo. É uma remasterização da versão de DS, ou seja, o último caso do primeiro jogo é Rise from The Ashes, conhecido popularmente como “aquele fucking caso longo pra caramba”. Mas, como o Hagrid, é grande em excesso – mas nós amamos ele em cada pelinho da barba.

Tá, foi uma introdução boa o suficiente pra vocês? Posso começar a surtar com o jogo? Obrigada.

OBJECTION! O papo de verdade

Phoenix Wright Ace Attorney (03) [1280x1024]No último post que fiz, aquele lá de Chrono Trigger, falei sobre como o jogo envelheceu bem e se manteve uma obra prima mesmo depois de 20 anos do seu lançamento (lá no post de Chrono Trigger eu coloquei como 10 anos. Desculpem, é que quando penso em 10 anos atrás eu penso nos anos 90 ainda.). Considerando que o primeiro Phoenix Wright foi lançado pra GBA em 2001, 14 anos atrás, ele é bem velhinho – mas OBJECTION, continua impecável.

Godot_Sniffing_CoffeePhoenix Wright tem muitas coisas memoráveis. Tem suas músicas icônicas, que ganharam até derivações pra orchestras e jazz. Suas frases de efeito, personagens marcantes, questionamentos filosóficos – afinal, é uma ladder ou stepladder? É surpreendente o número de pessoas que ainda desconhece essa jóia de jogo, especialmente no Brasil. É verdade, o idioma é uma grande barreira – o jogo demanda que você tenha um bom conhecimento de inglês para compreender a situação e processar com raciocínio lógico. Também é um jogo de leitura, derivado das famosas visual novels que nós tanto falamos aqui (o Raigho, na verdade). Mas será que não vale a pena todo esse esforço?

PWAA_Trilogy_ArtMarcela, você vai puxar saco de outro jogo?

Sim, eu vou. Não acham justo? A gente fala mal de tudo o tempo todo, critica tanta coisa – não é bom parar um pouco só pra falar do que a gente gosta? Do que a gente ama? O mundo não é feito apenas de críticas, e você se sente muito melhor quando compartilha seu amor por algo.

anime-phoenix-wright-453269Jogando Phoenix Wright pela milésima vez, percebi o quanto esse jogo é bom por conseguir ainda me surpreender e emocionar. Não, eu não joguei 2 vezes. Nem 3 vezes. Pelas minhas contas, eu devo ter zerado todos os três ao menos umas 5 vezes. Muita coisa, né? Mas sabem, percebo quando algo é bom que me motiva a repetir. Aquele anime gostoso de assistir e, conversando com alguém ou lendo algo, você lembra de repente dele e sente muita vontade de ver de novo por ser bom. É assim que Phoenix Wright funciona! Você lembra do caso, mas não lembra dele todo – ué, como foi que tal coisa aconteceu? Como foi que o criminoso escapou mesmo? As perguntas vão se somando e quando menos espera, já está zerando novamente.

E emocionar… Como diabos depois de ler a mesma fala tantas vezes e saber quase decorada, consigo lagrimar ao final de Rise from The Ashes? Eu já sei quem é o culpado, eu já sei como tudo vai acabar – mas por que, santa Nadeko, meu kokoro continua indo tão doki doki? É porque Ace Attorney tem histórias cativantes. As histórias são contadas de uma forma majestosa pelo grande Shu Takumi, diretor e roteirista do jogo, através de personagens que são verdadeiras caricaturas. Não há nada que seja minimamente “pouco criativo” em Ace Attorney. Cada design de personagem é tão único (bom, com exceção da Ema Skye e da Maya Fey…), assim como suas personalidades. Que jogue a primeira pedra que não morreu de rir com a Oldbag, ou cagou de medo na frente do Damon Gant. … Pera, não. Não joguem pedras. Joguem pedaços de algodão.

AceAttorneySlider1Retomando o ponto: é um grande mix de criatividade. Como eu falei lá no post de Chrono Trigger: você não sente as vezes que está jogando o mesmo jogo? Não é como se as ideias acabassem… É que as pessoas apenas descobrem pequenas receitas que fazem um jogo vender, mas que não tornam ele necessariamente bom. Ora, Phoenix Wright jamais vendeu igual um Call of Duty da vida. E nem vai, porque ele não foi feito pra isso, ele é como uma jóia que um artesão esculpe com tanta delicadeza e gasta muito tempo e esforço, mas não pretende fazer isso ~em massa~.

Personagens, personalidades e música. Tudo tem aquele toque de identidade, no qual você percebe o dedo do diretor/compositor. Metal Gear Solid tem uma identidade bem específica que você diz logo: cara, isso é coisa do Kojima. Da mesma forma funciona o jogo desse advogado de azul. Mesmo tendo uma ideia geral dos acontecimentos, a experiência de vivenciá-los novamente é quase sempre a mesma: ótima. Claro, a surpresa de descobrir o culpado não é tão grande quanto na primeira vez que você joga, mas o sentimento é quase tão forte.

Jogos bons fazem isso. Jogos bons deixam uma marca em você. Tal qual uma cicatriz de guerra, mostra pelo que você passou e o que você aprendeu ao adquirir ela.

Phoenix-Wright-HD-Sprites-ace-attorney-35724962-960-640Marcela, você tá viajando muito. Pode me passar o nome e número do cara de quem você comprou essa maconha?

Não, ele pede sigilo e-

DIGO, não fumei nada pessoal, calma! Sei que as vezes minhas comparações e metáforas são meio merda, mas é difícil vir com tantas palavras bonitas pra coisas aleatórias as vezes, tá.

O que eu quero dizer, o que eu REALMENTE quero dizer, com esse post e o de Chrono Trigger, é que jogos bons marcam você. Jogos bons fazem você lembrar dele, jogos bons fazem você jogar de novo sem se sentir culpado pelo backlog estar todo acumulado. E, para mim, e talvez para muitos, Phoenix Wright é um desses jogos.

As músicas são épicas, namoral. Pesquisem aí no youtube, é muito rápido. Até eu que moro na Amazônia os vídeos carregam rápido. E só de sacanagem não vou nem colocar o vídeo do youtube aqui pra vocês, seus preguiçosos lerdos. Enfim, pesquisem aí Turnabout Revival, Steel Samurai Theme, Swimming Anyone?… Qualquer um desses. Pode ser a versão orquestra, jazz, da Cadenza, tanto fucking faz. SENTE O ARREPIO. Não é incrível?

Agora, olhem essa imagem.

ace_attorney_wallpaper_by_cepillo16-d3jnmgaTão vendo quantos personagens? Tem aí a trilogia original, Apollo Justice e até o Investigations. Reparem na criatividade pro character design. Não tem figurinha repetida nesse deck. Você vai olhar e olhar e toda vez que passar os olhos pela imagem, vai ver uma cara nova que ainda não tinha percebido. Agora imagem uma personalidade única e singular para cada um desses personagens. Meu amigo, é muito trabalho pensar em um jeito diferente pra cada criatura dessas. Mas elas tem. Até os personagens que só aparecem no caso tutorial tem um jeito especial só deles.

Ace Attorney é essa união de fatores, de música, de personagens, de história, tudo junto – além dos efeitos especiais maravilhoso de PAF! BOOM! SCHIIIIK! WREEEUM… que surgem na tela durante as conversas, misturados pra fazer aquele bolo gostoso pra cacete!… É que eu não jantei ainda, ok. Estou com fome.

TAKE THAT! No fim das contas…

Phoenix-Wright-HD-Sprites-ace-attorney-35724949-960-640Minhas evidências todas comprovam: a trilogia original de Ace Attorney, em sua versão HD, continua encantadora até pra mim que já sabe todos os casos. 

Ah, mas não tem nem graça, é a mesma coisa sempre-

mLmX56iCacete meu amigo, acabei de fazer um texto enorme dizendo que a experiência é maravilhosa por ser tão bem feita que mesmo repet- ah, tu tá zoando com a minha cara né? Seu maldito.

AJ_Ema_Skye_Grumpy_2

Tá, é isso, pronto. Eu gosto da trilogia original de Phoenix Wright. Ela é muito boa e eu queria falar isso de novo pra ver se vocês jogam. Sabem que só recomendo coisas boas, as coisas ruins eu falo mal e faço até posts especiais pra elas.

Até a próxima com o: “Porque Apollo Justicen não faz jus a trilogia original, com participação especial do ódio do Raigho por ele ser fanboy do Apollo e como eles estragaram a minha Ema Skye”. Título do post.

Comentem, compartilhem e digam qual o momento favorito de Phoenix Wright pra vocês.

AJ_Ema_Skye_Snacking_3

eu falei que tava com fome.

 

Advertisements

One thought on “Revisitando a trilogia original de Ace Attorney e… TAKE THAT! Continua perfeita

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s