Kikokugai – The Cyber Slayer

Kikokutop

Vingança, vingança e vingança.

Oi, pessoal~

Eu realmente tomei gosto por Visual Novels! Cada vez mais estou encantado por essas narrativas tão peculiares nessa mídia de ~valor elevado~. Entre as leituras mais longas, sempre pesquiso por algo curto e peço recomendações no twitter, entre essas recomendações [obrigado, @JoaoZangetsu] fui agraciado com algo escrito pelo eloquente Gen Urobuchi; com diversos twists e centrada em alguns clichês, a jornada de Kong Taoluo – a transformação da honra em sangue – acaba sendo surpreendente em todos os sentidos.

Lembrando que o review é sobre a versão de 2002 que não tem vozes, é pura narrativa, pois a nova [completamente remasterizada] e lançada em 2011 não tem tradução para o inglês/português.

Quais são os limites para um homem que perdeu tudo, inclusive os escrúpulos?

A alma pela espada

ss+(2014-08-06+at+02.08.48)

“Kong Taoluo, o Palma Relâmpago – um nome que Zhang nunca mais deveria ter se recordado…”

Acho interessante ressaltar que Kikokugai é uma história extrema em diversos aspectos: no sangue, nas cenas de sexo e nas batalhas. Algumas pessoas podem se sentir afetadas pelo conteúdo forte, por isso deixo avisado que não é uma VN para todos os gostos; o maior choque é que a própria narrativa se inicia em uma cena sexual muito forte reforçada pelo ponto de vista desse “vilão” em questão [Zhang]. A escrita do Urobuchi se sobressai e muito nesse ponto, a forma cruel como o personagem pensa, suas mãos, seu atos… eles são nojentos. Não existe maniqueísmo ao longo da história toda, justamente por isso ela começa apresentando um ponto de vista totalmente contrário ao do protagonista, que só é revelado momentos depois.

Caminhando pela chuva com seu sobretudo negro, carregando a espada embainhada de um lado e sendo acompanhado pela simples ginóide. Eis a apresentação do nosso protagonista! Ele caminha sem vida, seus olhos não refletem nada, seus passos são vazios e sua própria presença é gélida; só nesse primeiro momento você percebe o quão diferente essa história vai ser, com a chuva sendo a única testemunha do primeiro ato de vingança dele, a primeira invasão, o primeiro embate! Taoluo não hesita, ouso dizer que a escrita do Urobuchi é tão afiada e mortal quanto a wodao empunhada pelo rapaz de sobretudo! A intensidade desse primeiro embate é avassaladora, os olhos do protagonista recuperam o brilho perdido, assim se encerra a primeira morte e ato da jornada em busca de algo maior.

E antes de entrar no assunto sobre os robôs, essa é uma obra cyberpunk ao extremo. As pessoas vivem fazendo implantes cibernéticos, braços, pernas e até órgãos são alterados por motivos fúteis boa parte das vezes; nosso protagonista é um dos poucos “100% humanos” que existem, por isso ele é um dos poucos que consegue executar sua técnica mortal! Esse contraste entre as regiões pobres e a ostentação de Xangai também é outro ponto interessante abordado, além das intensas batalhas com o seguinte dilema: “Seria um humano com sua técnica aprimorada, capaz de derrotar um humanoide?”.

“Ginóides” são robôs extremamente semelhantes aos humanos, no caso elas só são reproduzidas em forma de mulher para satisfazer os clientes que desejam algo desse tipo. Inevitavelmente a história acaba funcionando em torno dessas máquinas pois 5 delas foram utilizadas em um experimento ~proibido pela sociedade~, utilizaram a famigerada “transferência de alma” para partir a alma/personalidade de uma garota, Ruili, nessas respectivas cinco ginóides… a garota em questão é a falecida irmã do Taoluo. E muito da angústia do enredo se baseia na simples tese: “Se eu dividir o conteúdo de uma garrafa d’água em 5 copos, ao transferir o conteúdo desses 5 copos para outra garrafa, ainda teremos o conteúdo original intacto?”

untitled1

Acredito que todos já acompanharam aqueles filmes ao estilo “Carga Explosiva”, onde ocorrem milhares de explosões e o personagem escapa sem nenhum arranhão, certo? Essencialmente é isso que ocorre conforme observamos as ações de Taoluo! É algo carregado de clichês? Sim, mas todos extremamente bem executados e construídos. Ouso dizer que é uma história relativamente curta mas muito carismática, não só pelo protagonista carregar diversos conflitos internos, mas também por sermos apresentados aos “vilões” do ponto de vista deles; cada qual carregando sua própria ginóide com parte da alma de Ruili, então não é complexo adivinhar os próximos passos de Taoluo e como a história vai se desenrolar.

Entretanto, é nesse ponto que uma escrita bem feita e a OST conseguem fazer toda a diferença. Imagino que o Urobuchi já tivesse uma experiência relativa nessa época [estamos falando do lançamento em 2002] ao escrever a história, por isso muitas partes são carregadas de modo afiado e feroz. Muitos dos embates têm menções à inúmeros estilos de luta, onde combatentes treinam o “interior” ou “exterior” corporal para alcançarem um nível absoluto de batalha; existe todo um cuidado com a construção dos estilos de luta, com a cena de batalha e as apresentações desses estilos, muitos deles extremamente complexos.

A OST é algo soberbo, existem trechos que aliados ao som conseguem arrepiar completamente o leitor! E nem falo das lutas em geral, mas nos trechos onde o protagonista rememora os tempos de paz em que vivia com sua irmã, quando ele acreditava que o caminho da espada era delicado e compenetrado… Nesse último quesito ele ainda compreende que a calma é necessária, mas seus modos ao empunhar a espada se tornaram infinitamente mais brutais. O duelo final com a música Supersonic Showdown é o exemplo máximo que posso indicar para reforçar o impacto que elas causam.

ss+(2014-08-07+at+01.59.16)

Eu estava preocupado com a construção do enredo de certo modo, pois algumas VNs curtas mantém o foco somente no plano principal da história e em prol disso reduzem o foco geral; mas fui agraciado com narrativas incríveis da própria situação da cidade! Estamos falando de uma Xangai futurista e corrompida, os becos escondem os piores monstros/assassinos possíveis, somente a alta sociedade consegue prosperar nesse cenário catastrófico; a situação atual é toda apresentada de forma bastante geral sem soar tediosa, ás vezes enquanto Taoluo está fugindo [e para que o leitor não se entedie, o que eu acho difícil] o plano narrativo muda para a cidade e ficamos sabendo melhor do que se passa nesse mundo distópico.

Posso dizer sem dúvidas que a história consegue fechar muito bem o ciclo iniciado nessa vingança, parte disso se deve ao competente escritor e a forma como os clichês são abordados. Existem algumas reviravoltas inacreditáveis envolvendo a misteriosa Ruili que, em tese, é o gatilho dessa matança; eu mencionei que a base dessa vingança é recuperar a alma dessa garota morta, mas o próprio Taoluo fica abalado se questionando: “Seria esta, realmente, a minha antiga irmã? Não será uma mera cópia?”. Não é só por vingança que ele caminha, mas pela imagem acalentadora daquela inocente irmã que sempre aguardava seu retorno.

E é óbvio que existe o “grande duelo final” de praxe, garanto ele será inesquecível! Digo mais, o próprio final da história é algo estarrecedor e vai fazer com que o leitor questione se todo aquele caminho realmente compensou; muitos valores serão abandonados pelo protagonista enquanto ele caminha em direção ao inferno para recuperar sua irmã, mas admito que é delicioso ver essa derrocada, ver alguém vendendo sua alma pela espada, observar o ódio moldando o maior dos espadachins é esplêndido.

E o fim, é mesmo fim?

Kikokugai é uma narrativa marcante, mesmo após ter finalizado a história me pego ouvindo algumas canções/relendo trechos para satisfazer a falta que esse enredo me faz. Os “vilões” são “caricatos”, mas marcante ao seu próprio modo. E os motivos de Liu [o verdadeiro carrasco] revelados durante o embate final serão chocantes. Ah, essa é uma “kinetic novel” então não existem escolhas, apenas desfrutem sem preocupações.

Bem, no fim, é uma obra digna de Gen Urobuchi.

"Meu querido... meu irmão."

“Meu querido… meu irmão.”

Advertisements

8 thoughts on “Kikokugai – The Cyber Slayer

  1. Cara não sei se você já parou pra pensar nisso, mas você tá fazendo um trabalho revolucionário trazendo Visual Novels de boa qualidade para o público br. Principalmente essa mídia, que é muito pouco conhecida por aqui, e você está invertendo este fato.

    Meus sinceros parabéns, continue recomendando mais VNs que eu vou jogar todas que você indicar!

    • Eu fiquei sem graça de responder na hora! Hahaha, eu fiquei emocionado com o seu comentário, porque o que eu realmente quero com esses posts é apresentar leituras interessantes e de qualidade! Têm tanta VN que as vezes não foi jogada por ser desconhecida! Prometo continuar a me esforçar para que o nível do post só aumente!

  2. Devo admitir que nunca tive um pingo de interesse nesse tipo de jogo, mas venho acompanhando seus posts e realmente estou com muita vontade de jogar alguns dos jogos citados por você, pena que agora não tenho mais muito tempo livre (ah se desse pra jogar pelo Smartphone). Bom, pelo menos já tenho o que fazer nas férias hehe

    Parabéns pelo ótimo conteúdo de seus posts, espero que continue!

    • Não seja por isso! Tem uma VN chamada “Narcissu” que recebeu port para smartphone! No google play tem ela de graça, talvez o save trave as vezes, mas são por capítulos, então é tranquilo!

      Eu realmente recomendo essa experiência, é uma história que lida com a morte de forma sensível, ela é curta! Mas de qualquer forma, agradeço o comentário, vai fundo nas VNs!

        • Me metendo no post do Raigho, mas tem uma BEM curta pra smartphone chamada Phantom Seeds. Mas nunca uma visual novel tão curta me deu tanta emoção, recomendo.

  3. Ai… Esse blog tem de tudo, mas é difícil de achar.
    Vocês deviam mudar para um nome semgraça e criatividade, que facilite pro Google.
    Como Bakemonogatari Brasil ou coisa do tipo…
    Sobre a VN, vocês me deprimem por eu não ter uma noção tão ampla de inglês e não poder jogar… T-T

  4. Esse e Um dos Meus Jogos 🎮 Visual Novels Que eu Gostei Muito Kikokugai Realmente e Uma História Muito Boa Gostei Muito do Jogo e a Light Novel e Também Muito Boa e Merece Ser Publicada no Brasil (Vamos Trazer Kikokugai Light Novel Para o Brasil)

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s