Utsukushi-hime [Bela Princesa] – Um conto de fadas macabro por Nisio Isin

Oshino.Shinobu.600.1617402

Sentem-se, é hora de uma antiga história.

Toda espera é bem recompensada, ao menos eu acredito nisso. Sempre é difícil encontrar materiais específicos de Monogatari, algumas vezes somos obrigados a ~descobrir~ uma fonte para ter algo relativamente notável; com muito orgulho finalmente trago o primeiro dos nossos frutos! Graças ao nosso Js06 brasileiro [só os melhores vão entender a referência], o incrível @Imouto_lover sempre nos ajudando nas traduções!

Esse conto de fadas macabro guarda uma revelação sorrateira. Que tipo de verdade pode estar no fim das palavras de Nisio Isin?

Sentem-se, escutem, Nisio está narrando…

Bela Princesa

A história que será contada aqui é um fato real de 600 anos atrás. Porém, espero que escutem como se fosse uma história fictícia. A razão para isso é que se trata de uma história muito antiga para se considerar como verdadeira, é uma história que não possui nenhuma lição de moral, muito menos alguma salvação e por isso é melhor considerá-la como sendo uma mentira.

600 anos atrás, em um país que não existe mais, havia uma garota muito bela. Ela era uma filha de família nobre e a sua beleza se estendia por todo o país a ponto de  todas as casas possuírem um retrato dela.

Cabelos loiros e sedosos, cabeça pequena com grandes olhos, lábios vermelhos, pescoço fino, pele quase transparente, dedos redondos e brancos, a posição de sua cintura é alta e ela flui para suas longas e finas pernas.

Velhos, jovens, homens, mulheres, ricos, pobres, todos, sem exceção estavam encantados por ela. Por causa de sua beleza o imperador deu a ela o título de Bela Princesa e assim foi amada por todo os habitantes do país. De acordo com rumores, os habitantes formavam uma longa fila para poder vê-la no castelo. A beleza da Bela Princesa superava todas as expectativas e em troca ela recebia vários presentes. Todo dia uma montanha de presentes se formava na frente do castelo.

“Fiz uma música representando a beleza da princesa. Por favor, aceite essa música.”

Assim o músico começou a tocar seu violino.

“Fiz um poema representando a beleza da princesa. Por favor, aceite esse poema.”

Assim o poeta começou a ler em voz alta.

“Fiz uma estátua representando a beleza da princesa. Por favor, aceite essa escultura.”

Assim o escultor começou a esculpir sua estátua.

Porém, nenhum presente fez a princesa sorrir. Ela olhava melancolicamente a montanha de presentes, mas a sua expressão de tristeza fazia com que ela fosse ainda mais bela, ao ponto de ninguém perceber que ela não estava sorrindo.

“Ninguém olha para mim.”

A princesa lamentava sozinha em seu quarto.

“Todos elogiam a minha beleza, mas não dizem mais nada. Ninguém sabe que tipo de pessoa eu sou. Não sabem sobre o meu interior.”

Essa era a preocupação da Bela Princesa.

Todos acabam sendo encantados por sua beleza. Todos a elogiam. Todos a priorizam e olham somente para ela. Porém, eles somente a veem por fora, eles não a veem pelo o que ela faz, o que ela fala, os seus gestos.

Ninguém conhece o interior da princesa. Ninguém nem sequer deseja isso.

Não importa o que ela faça, fale ou sinta, tudo se resume a palavra bela. A opinião é sempre a mesma, quer ela tenha tido sucesso ou tenha fracassado, quer ela tenha feito algo bom ou algo ruim. Tudo que ela faz é belo. Se ela dorme ou acorda, ela é bela. Princesa Bela é realmente um título justo.

Sua beleza é tamanha que chega a ser algo demoníaco.

“Dessa maneira não importa se eu tenho alguma opinião ou não. Eu não sou escrava da minha própria aparência. Por coincidência eu nasci com essa beleza e agora isso não passa de um problema. Eu não quero que vejam meu exterior, mas sim meu interior.”

Quem se comoveu por esse admirável desejo de não depender de sua beleza foi a velha bruxa que mora há muito tempo nesse país.

Ela havia ouvido rumores e decidido entrar no castelo por curiosidade, mas no fim a velha bruxa decidiu realizar o desejo da princesa.

Bela Princesa. Eu vou fazer com que a sua beleza se torne transparente para todos. Em troca todos verão o seu coração. A partir de agora, todos a verão por seu interior.”

A velha bruxa recitou um encanto e após mover seu báculo a pele da princesa que parecia ser transparente realmente se tornou transparente.

“Muito obrigada. Muito obrigada.”

A Bela Princesa agradeceu do fundo do coração. Seu coração estava completamente visível.

A beleza do coração da princesa não se comparava a beleza exterior que foi retirada. Até agora a pessoa conhecida como “princesa” ficava escondida por trás de sua deslumbrante aparência, porém por causa da magia da bruxa ela se tornou visível e o seu brilho se estendia por todo o país, mesmo ela estando no castelo.

O pai da princesa ao se envergonhar por nunca ter visto a beleza do coração da princesa se jogou da varanda como punição após cumprimentá-la de manhã. A mãe da princesa ficou muito orgulhosa ao saber que havia colocado no mundo alguém com tamanho sentimento, tão forte essa impressão que logo após tomar seu café da manhã a rainha morreu em paz.

O músico ao perceber que não conseguiria fazer uma música que representasse a bondade da princesa ofereceu em troca algo de mesmo valor, isto é, o que lhe era mais valioso, mais valioso que a sua própria vida e cortou suas duas mãos que usava para tocar seu violino.  O poeta ao perceber que não conseguiria fazer um poema que representasse a inteligência da princesa ofereceu em troca algo de mesmo valor, isto é, o que lhe era mais valioso, mais valioso que a sua própria vida e arrancou sua língua que usava para ler. O escultor ao perceber que não conseguiria fazer algo que representasse a coragem da princesa ofereceu em troca algo de mesmo valor, isto é, o que lhe era mais valioso, mais valioso que a sua própria vida e arrancou seus olhos que usava para distinguir quais materiais eram bons.

Todos os habitantes do país queimaram os antigos retratos da princesa que eles carregavam até então. “Como nós cuidávamos de algo tão trivial assim? Não só isso, olhem para a pureza da princesa. Olhem para o espírito de justiça da princesa. Em pensar que havia um coração de tamanho valor nesse mundo. Aquilo sim é uma beleza verdadeira.”

Porém, nem todos possuem algo mais valioso que sua própria vida. Por isso eles foram relutantemente, sabendo que isso não era de mesmo valor, oferecendo suas vidas para a princesa. Ofereceram a sua própria vida, a vida de seus pais, a vida de seus irmãos, a vida de seus filhos, a vida de seus netos. Ao invés de se formar uma montanha de presentes, uma montanha de cadáveres se formou em frente ao castelo. Em pouco tempo essa montanha superou a altura do castelo.

“Ah! Mas que tragédia! Como algo assim pôde acontecer!”

A princesa entrou em desespero ao ver a montanha de cadáveres e o rio de sangue formado para equivaler a seu coração, e assim decidiu visitar a velha bruxa para desfazer a magia. Porém, já era tarde demais. A velha bruxa foi a primeira a se encantar com o interior da princesa e já havia oferecido o que lhe era mais valioso que se refere a todo seu conhecimento adquirido durante anos que se encontrava em sua cabeça. A princesa chorou em frente a essa cabeça.

Essa sua aparência que demonstrava tristeza, seu belo coração que chorava pelos outros encantou ainda mais os habitantes do país. Eles lutavam para oferecer a sua própria vida ou algo mais valioso que isso para a princesa. Eles se ofereciam com um sorriso para a princesa tentando confortá-la. Sem se iludir pela aparência externa, podendo entrar em contato com um coração tão belo assim, eles morriam muito felizes.

A montanha de cadáveres, ou melhor, o castelo de cadáveres ganhou uma péssima reputação e alcançou a capital e os países vizinhos. Porém, o exército que se aproximava ao sentir a influência da Bela Princesa perdia toda essa visão e preconceito, seus corações eram purificados e por própria vontade, eles iam felizes juntos para fazer parte do castelo de cadáveres.

“Não aguento mais. Todos vão morrer. Todos vão morrer por minha causa. Eu não consigo ajudar ninguém. Quanto mais eu ajo, quanto mais eu falo, mais pessoas morrem. Eu quero morrer.”

Porém, ela não conseguia morrer. A força de seu coração a impedia disso. Não aceitava isso. A princesa não conseguia nem ficar louca.

“Então faça uma viagem.”

E aí, a cabeça da velha falou. As lágrimas da princesa fizeram um milagre acontecer. Por apenas alguns instantes a velha reviveu.

“Pode ser que você consiga salvar as pessoas que morrem por causa de sua demoníaca beleza interior. Você deve se afastar das pessoas até que esse momento chegue. Não pode interagir com ninguém, deve viver sozinha. Nunca deve ficar somente em um só lugar. Se você ficar as pessoas vão se aproximar de você e oferecer suas próprias vidas.”

Após dizer isso a velha morreu mais uma vez.

Assim, a Bela Princesa se afastou do castelo tingido de vermelho por causa do sangue, do castelo formado por cadáveres, começou uma viagem sem fim. Obedecendo ao conselho da bruxa que mais parecia uma maldição para impedir que mais alguém morresse. Ninguém pôde acompanhá-la, uma viagem solitária. Ela viraria uma vampira um pouco depois, mas a história da princesa conhecida como Kissshot-Acerolaorion-Heartunderblade, a história da lendária vampira começou a partir daqui.

Ela que possui um coração puro conseguiria salvar uma pequena vida que lhe foi oferecida somente 600 anos depois.

Fim

Advertisements

30 thoughts on “Utsukushi-hime [Bela Princesa] – Um conto de fadas macabro por Nisio Isin

  1. História incrível. Apresenta muito bem o início da lenda, e alguns mistérios por trás da vida da shinobu, por exemplo porque ela nunca se matou/enlouqueceu depois de ficar entediada como a maioria dos vampiros (por causa da força do coração dela no caso). E eu, é claro, só tenho a agradecer a vocês por trazer esse texto.

    Mas eu fico com a dúvida, Kissshot é o nome humano? É por isso que quando o Araragi o fala de repente ela fica tão surpresa em kizu?

    • O conto não específica o nome dela, é apenas “Bela Princesa”; aparentemente só depois que se tornou vampira ela ganhou esse nome [aparentemente, frisando].

      E ela não fica surpresa por ele ter dito o nome, mas sim por ele ter utilizado só o “Kisshot”, que era a mesma forma ~carinhosa~ com a qual o Primeiro Subordinado se referia a ela!

      • Eu fiquei curioso por que ela comenta durante a conversa que eles têm no teto do cursinho que não há ninguém que chame um vampiro pelo seu “nome verdadeiro” e até mesmo o Oshino acha estranho.

        • É que ela passou bons anos vagando por aí, o próprio Oshino diz “ela estranhou/achou diferente você chamá-la assim, pois é íntimo.” ou alguém chega a comentar isso, mas lembro que em inglês, o problema era esse “kisshot” que ela fica meio aparvalhada.

          Realmente não sei dizer sobre o verdadeiro nome dela…

        • na verdade eu acho q a questão do ‘nome verdadeiro’ é em relação ao habito dos japones de usarem o segundo nome das pessoas por falta de intimidade (Araragi é o sobrenome enquanto que koyomi seria o nome verdadeiro) e se pensar assim, ele chegar para uma vampira de 500 anos chamando ela com tanta intimidade e para deixar qualquer um supreso.

    • E não só quando ela ficou entendiada como a maioria dos vampiros, mas não conseguiu sequer quando fugiu da cidade, no Arco do “De Volta Para O Futuro”, foi por conta do coração puro dela. Agora entendo porque a Shinobu, a que viajou no tempo com Araragi, falou que estava decepcionada com o seu ‘eu’ daquela linha temporal.
      Agora, eu não entendi o “como” ela, mesmo tendo um coração puro, se transformou em uma vampira, ou se aquilo (seu coração à mostra) é o vampirismo.
      E QUEM É ESSA BRUXA?!! [Gaen?! Não acho que a Ougi tenha tamanha habilidade XDD]

  2. Simplesmente foda. Muito interessante esse passado da Kisshot, esse é um começo digno da rainha da aparições. Parando para analisar o nome, Utsukushi-hime, podemos perceber algumas coincidências (provavelmente intencionais, considerando como o Nisio é um mestre da Etimologia japonesa). A que mais chamou minha atenção é que o kanji para “kushi”, apesar de não ser usado no nome, é 串, que significa Espada. Outro, mais direto porém menos importante, é o kanji し(Shi), que fica nos kanjis originais do nome Utsukushi-hime (美し-姫), significa dente.
    Mesmo em seu nome humano já existiam traços de suas características como vampira, seus dentes e sua espada (kokorowatari). De certa forma, apesar de considerar a língua japonesa gramaticamente inferior à portuguesa, a possibilidade de criar essas conexões é algo que deveras causa inveja.

    • Interessante isso, não tinha pensado que existia tantas coincidências! Mas é uma bela crônica mesmo assim.

  3. gostei dessa historia, acho que iria ficar muito foda se fosse animado pela disney (sqn)
    enfim, mas uma vez o nisio-sensei consegue me impressionar, é uma forma muito interessante de contar um ”conto de fadas”

  4. Wow! Que estória fabulosa! Não saberia nomear um parágrafo vencedor, mas diria que um dos mais tocantes foi o do sacrifício dos três artistas por sua Musa (ainda mais pela maneira com que foi traduzida!).
    Esse material veio diretamente de alguma das novels (Koyomimonogatari, Owarimonogatari?) ou de outra fonte?

  5. lol Nisio é….um cornovadiodesalmadoqueescrevebempracarambamasmesmoassimdestróinossoscoraçõescomestóriasépicamentesupimpas….
    Muito show de bola esse conto, tendo por base o q vc diz no comentário acima, e que foi lançado uma revista para cada personagem… teremos mais contos em breve? *0*

    Só eu que acho o “nome” Kissshot-Acerolaorion-Heartunderblade epicamente épico?

    • NÃO que tenha UM conto por revista, a da Hanekawa eu não encontrei nada do gênero, eu sei que nessa da Shinobu tinha esse conto, além de ~outras coisas~.

      Sei que na da Senjougahara tem uma crônica exclusiva sobre como o Combo Valhalla se formou/amizade da Gahara-Kanbaru.

      E fico feliz que tenha gostado~

  6. Só fiquei triste no final ao descobrir que era um conto do universo Monogatari 😦
    Queria que fosse outro trabalho dele, um conto qualquer que vale a tradução. Quando cheguei no meio me fez lembrar a HQ Legião, que é totalmente centrada no tema de arte macabra.

  7. Por isso ela é a minha favorita, o passado dela foi triste pois ninguém notava seus sentimentos, depois vira um pesadelo quando o interior dela fica visível e as pessoas morrem, seguido de agonia por querer morrer e não conseguir e ainda vira vampira de uma linhagem extremamente poderosa.

  8. Mãe de deus ‘-‘ eu pensei nisso hj
    q seria mto foda se o nisio tivesse ai ideia de fazer as origens da Kiss-shot.
    Espero q vire um novel e não só essa pequena cronica.

  9. Pingback: Wazamonogatari – A Ascensão de Lola – OtomeGatari

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s