Papo Gatari #07 – Além do Traço: Uma entrevista com VOFAN, ilustrador de Monogatari Series!

PapoGatari!

Adivinha quem vai dar umas palavrinhas?

A ~pegada~ de se procurar na internet determinadas coisas é que você precisa insistir. Após andanças nessa vida encontrei uma joia rara, algo digno de ser louvado por gerações; finalmente encontrei uma entrevista com o VOFAN! Não qualquer entrevista, nossos amigos do Metanorn [além de um seleto grupo] conseguiram uma ~exclusiva~ com uma série de celebridades, entre elas estava o inigualável VOFAN; com isso em mente eu humildemente pedi permissão para traduzir apenas a entrevista com esse taiwanês admirado por muitos… As outras entrevistas vocês podem ler diretamente no site deles.

O foco das perguntas foram o começo de sua carreira, como ele acabou sendo o ilustrador de Monogatari Series, sua opinião tanto sobre o anime/Light Novel de Monogatari, as dificuldades na criação dos personagens, detalhes de como ele “descobriu” seu traço único e muito mais!

Vofan – O começo, a lenda e o Nisio

Vofan

P: Qual foi a inspiração para que você começasse a desenhar?

R: Meu interesse em desenhar começou através da leitura de mangás quando eu era mais novo.

P: Como o apelido “VOFAN” surgiu?

R: Bem, antigamente eu adorava um jogo chamado “Virtual On”, somado ao fato de eu ser um grande FAN dele… Eu não pensei muito em um nome artístico, o nome “VOFAN” foi natural.

P: Você é um artista autodidata ou fez aulas na época do colégio?

R: Devido ao pedido dos meus pais quando eu era mais novo nunca participei de nenhuma “aula de artes” e também não aprendi sobre a arte tradicional de desenhar. (Ele não respondeu exatamente, mas é óbvio pela resposta que, de fato, é autodidata.)

P: De que forma você desenvolveu o seu estilo único de ilustração?

R: Eu encontrei meu estilo atual 10 anos atrás. Antes disso eu desenhava e ilustrava seguindo um estilo influenciado pelos meus artistas favoritos, mas conforme eu continuei a desenhar consegui desenvolver algo original e decidi abandonar a sombra dos outros.

P: Quando e como foi a decisão que fez você se tornar um ilustrador e character designer?

R: Bem, eu sempre adorei criar artworks, por isso continuei a desenhar e comecei a receber trabalhos de comissão menores. Conforme fui trabalhando nessas comissões, a escala dos trabalhos e projetos cresciam. Naquela época eu não considerava me tornar um ilustrador, mas eu sempre segui o fluxo dos acontecimentos e aqui estou eu sendo um ilustrador atualmente.

P: Existe algum artista em particular que teve grande influência sobre você?

R: Justamente por desenhar há muito tempo, diversos artistas me influenciaram no decorrer desses anos. Os mais recentes foram o Okama-sensei e o Makoto Shinkai.

P: Como você descobriu o trabalho do NisiOisiN-sensei e foi trabalhar ao lado dele?

R: Na verdade, quem entrou em contato comigo foi o editor do Nisio-sensei. Eu encontrei o Nisio-sensei pessoalmente por volta de 10 anos atrás. Na época eu desenhei a capa de uma revista Taiwanesa publicada pela Kodansha. Lembro que o Nisio-sensei foi trazido pelo seu editor para Taiwan, nós marcamos um encontro e naquele dia esse projeto nasceu [Monogatari]. Jamais imaginei que fosse se tornar tão popular.

P: Agora discutindo sobre Monogatari Series, quais considerações você levou em conta ao criar o design do uniforme escolar dos personagens? Falando particularmente da Escola Secundária Naoetsu.

R: Com relação ao uniforme escolar, eu o criei pensando particularmente na personagem Senjougahara Hitagi. A ideia principal era criar um uniforme no qual os personagens não ficassem nem orgulhosos ou arrogantes demais

P: De onde surgiu a ideia do character design dos personagens?

R: Bem, eu criei os personagens baseados nas descrições da light novel e seguindo as personalidades deles conforme era especificado pelo Nisio-sensei.

P: Quais dificuldades você encontrou enquanto criava os personagens e de que forma resolveu os impasses?

R: Uma das principais dificuldades foi justamente o grande número de personagens na série. E dentre eles encontrei personagens que não me eram familiares. Nesses personagens eu optei por um novo processo, fiquei redesenhando e recriando eles até que se tornassem agradáveis ao meu gosto.

P: Qual é a sua opinião sobre a forma com a qual Akio Watanabe adaptou seu design para o formato anime?

R: Sinto que a interpretação dele sobre as personagens femininas exala muito mais charme e apelo sexual do que meu traço original; suas ações e aparência no geral estão muito mais voluptuosas. Na verdade, eu pessoalmente era fã dele antes da adaptação para o formato anime de Bakemonogatari, por isso quando foi revelado que ele seria o character designer do anime, posso dizer que fiquei bastante surpreso e feliz.

P: Você foi consultado para a criação do character design no anime?

R: Somente para os personagens mais importantes, nesses momentos eu oferecia alguns rascunhos para referências que seriam utilizadas na adaptação do anime.

P: Qual é a sua personagem favorita de Monogatari Series?

R: Oshino Shinobu.

P: Qual sua opinião sobre o alter ego da Shinobu, a Kiss-Shot Acerola-Orion Heart-Under-Blade?

R: Sinto que a Kiss-Shot é uma personagem bastante charmosa, digo isso porque gosto dos personagens que exalam bastante apelo sexual e ao mesmo tempo transmitem uma aura assustadora/perigosa, além do passado trágico dela. Realmente acho ela uma personagem única.

P: Qual sua opinião sobre a forma como o estúdio SHAFT adaptou a série no anime?

R: Acredito que o SHAFT seja a opção perfeita para a adaptação de Bakemonogatari por eles terem conseguido transmitir, ou melhor, por eles terem conseguido retratar a atmosfera fantasmagoricamente surreal que existe na Light Novel.

P: Qual foi sua reação quando o anime de Bakemonogatari se tornou popular?

R: Bem, eu não posso levar muito crédito visto que contribui com apenas 10% da produção total do projeto; quem realmente merece os créditos pela ótima adaptação é o excelente time por trás dela. É incrível testemunhar o esforço combinado de todos os envolidos.

P: Qual sua opinião sobre sua arte em Monogatari? Elas são suas melhores ilustrações até agora?

R: Eu realmente ajudo nas ilustrações de outros trabalhos, como em revistas ou capas de jogos por exemplo; mas acredito que o fator essencial para Monogatari Series ser tão bem sucedido assim é o esforço combinado do time inteiro, além do talento notável do Nisio-sensei.

P: Algum conselho para aqueles que sonham em ser ilustradores?

R: Quando se trata de desenhar e ilustrar, pessoalmente acredito que é necessária muita perseverança. Contanto que você mantenha o foco nisso é possível, pense sobre o porquê de você desenhar e tente não se focar na fama. Não crie um determinado prazo para si mesmo sobre onde você “deveria ter tido sucesso”, simplesmente continue a desenhar e quando menos esperar, vai estar tendo sucesso sem sequer perceber.

P: Existe algum artista com o qual você gostaria de colaborar? E você gostaria de criar sua própria animação algum dia?

R: Com o Makoto Shinkai-sensei, justamente por ele ter um ótimo conhecimento sobre animação. Quando eu ainda era só um estudante, lidei um pouco com animações em geral mas desisti pelo alto nível de dificuldade. As habilidades necessárias para uma animação bem feita são bem diferentes das habilidades necessárias em uma ilustração, ser capaz de fazer grandes ilustrações não quer dizer necessariamente que você será capaz de produzir uma boa animação.

P: Qual é o seu anime e mangá favorito?

R: Meu anime favorito é Tengen Toppa Gurren Lagann. Agora sobre mangás… gosto de muitos deles, mas o meu favorito é a série Yu Yu Hakusho, do mangaká Yoshihiro Togashi, mas também gosto de Hunter x Hunter, embora sua periodicidade seja bem lenta.

P: Você precisa manter seu estilo em adaptação para os mercados Japonês e Taiwanês?

R: Normalmente o estilo utilizado em trabalhos comerciais e pessoais varia muito. Para trabalhos comerciais eu preciso seguir as exigências do cliente, mas também mantenho parte do meu estilo pessoal. Se eu criar uma ilustração apenas para essa determinada audiência ela não vai se sobressair, mas caso eu siga muito com meu estilo em particular, ela não vai conseguir atrair a audiência, Por isso preciso encontrar o equilíbrio entre as necessidades do cliente e meu estilo distinto.

P: Quando você está trabalhando em seus projetos ou comissões para clientes no exterior, você precisa ir para o respectivo país onde encontra-se o cliente ou é marcado um encontro em Taiwan?

R: Normalmente, quando ainda estamos iniciando o projeto. o encontro pessoal ocorre sempre no Japão ou em Taiwan, mas uma vez que a colaboração tenha começado, nós discutimos os detalhes pela internet. Na verdade existem muitos trabalhos meus feitos para clientes que eu nunca encontrei.

P: Qual sua opinião sobre a Comic Fiesta [o evento da entrevista] até agora?

R: Sinto que esse evento me inspirou em diversos aspectos, encontrar todas essas pessoas de etnias diferentes, nacionalidades diferentes com o amor em comum por anime, mangás e jogos foi tocante. As atividades aqui variam bastante, temos animações, jogos, doujins e cosplays! É muito divertido. Eu ainda estou para ver um evento desse porte em Taiwan. Antes de vir para a Malásia, eu não tinha ideia sobre a qualidade dos doujins dessa região, mas fiquei surpreso com a qualidade após dar uma boa olhada nas barracas de venda.

P: E por último, você gostaria de deixar uma mensagem para seus fãs ao redor do mundo?

R: Quando eu comecei, boa parte dos meus fãs eram basicamente Taiwaneses, depois no Japão eu descobri os fãs Japoneses e foi a mesma coisa agora nos EUA. E agora na Malásia, eu encontrei pessoas de diversas nacionalidades apreciando o meu trabalho, fiquei incrivelmente surpreso e emocionado. Sou extremamente grato a todo o carinho dos fãs.

Agradecimento

Preciso fazer um agradecimento especial à “Kyokai“, chefa do Metanorn por ter me concedido a permissão de traduzir para o português essa incrível entrevista exclusiva! Vai ser em inglês mesmo, podem ignorar! E frisando, o crédito é todo da equipe dela, eu apenas traduzi.

This words cannot describe my joy. You are a amazing person, truly. Thank you, Kyokai. From the bottom of my heart.

Advertisements

4 thoughts on “Papo Gatari #07 – Além do Traço: Uma entrevista com VOFAN, ilustrador de Monogatari Series!

  1. Nossa cara. Nunca imaginei ler uma entrevista com o VOFAN!!! Eu sou um super fan do trabalho dele.
    Eu estou sem palavras…. Para ser sincero, eu estou chorando de emoção.

    Valeu ao pessoal do otomegatari por trazer algo tão maneiro assim. E obrigado ao kyokai por traduzir também. Sério gente, valeu mesmo 🙂

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s