12 Dias de Anime – 7º dia: “Dos Dangos ao Bacon”

12 days of anime

Auuuuuuuuuuuuuuuuu~

Nyan.

Getto da ze!

O grande Scamp do TheCartDriver realiza há 5 anos esses 12 dias comemorativos, onde ele comenta sobre determinada cena, algo que o tenha inspirado ou uma coisa marcante ocorrida em vários animes! Não é limitado só aos anime desse ano, qualquer anime é válido! E como seu humilde convite é aberto a todos que desejem participar, aqui estamos nós. Eu e a Marcela durante os próximos dias comentaremos sobre aquilo que nos emocionou, incentivou e encantou em determinados animes; tal como o convite do Scamp, sintam-se livres para comentar e deixar seus momentos marcantes nos comentários. Compartilhem conosco suas ~experiências~ animísticas.

Garçom, aqui, nessa mesa de bar~ (8) (Essa até eu entendi.)

Clannad ~After Story~ – Raigho

CLANNAD ~AFTER STORY~ - 22 - Large 38

Sabe, provavelmente isso será mais um monólogo do que propriamente algo marcante… Sintam-se livres para ignorar.

Clannad foi marcante para muitos, seja no quesito choro de alegria ou tristeza. Mas existe o episódio 18 e a nova percepção que o Tomoya compreende do seu pai, dos seus sacrifícios que aquele homem fez pelo seu filho, embora de maneira muitas vezes torta… ele tentou. Eu tenho um relacionamento de merda com o meu pai, imagino que muitos tenham também seus relacionamentos tristes com familiares, um pai, um tio ou quem quer que cuide de você; durante esse episódio eu comecei a chorar no momento em que a avó do Tomoya pergunta para ele: “Ele foi um bom pai?”, eu chorava de desespero, sabe? Eu não sabia se chorava pela cena, se chorava por que queria acreditar erroneamente que meu pai fez algo assim por mim… Eu chorei até meu coração ficar aliviado. Eu chorei quando o Tomoya encontrou a Ushio e admitiu ser um péssimo pai. Eu chorei quando eles estavam no trem.

No fundo… No fundo… No fundo eu imaginei meu pai virando e dizendo aquilo pra mim.

Eu errei, meu filho.

E sorrindo com lágrimas no olhos aquilo me fez feliz.

Gin no Saji [Silver Spoon] – Marcela

vlcsnap-2013-07-14-19h22m02s87

“Tokiwa, como algo que sai de um ânus pode ser tão gostoso?” HACHIKEN, Yugo

Gin no Saji, aquele anime que dava fome em todo mundo, mas no final das contas… Um porquinho cor-de-rosa comoveu mais do que muito personagem desse ano.

Assim que li a sinopse e vi o PV deste anime, fiquei encantada. Sabe, toda temporada tem os animes clássicos: um de robô gigante, um com peitos, um com robô gigante e com peitos… Enfim. Mas, Gin no Saji apresentou uma proposta tão única… Digo, é um slice of life no fim das contas, mas não bate na tecla de “meninas fofas fazendo coisas idiotas” – ele realmente é, como a tradução literal do termo diz, um pedaço da vida. Um anime de cotidiano, com uma pegada simples e gostosa. Literalmen

Quanto a essa pegada e a proposta, Gin no Saji nos demonstra a realidade agrícola sem muitos floreios. Claro que, como ficção, não é 100% verdade, mas o anime não se prende a uma vida feliz na fazenda feliz. Existe a dura realidade entre o baixo lucro de produtores de menor porte, o trabalho pesado que deve ser feito e, principalmente… A parte dos animais.

Vocês devem comer ovo todo dia, né? Podem até não ter a ostentação pra um filé, mas devem também colocar vez ou outra um pedaço de frango no prato, ou aquele bife duro feito pedra. Bacon, então, nem se fala – é um dos charmes da internet, junto com gatos e nutella. Mas, desde pequenininhos, ninguém para e explica para nós o que aquilo significa – o que ser um onívoro ou carnívoro significa. Não, não sou vegetariana, principalmente porque já tive anemia e sou obrigada a comer muita carne vermelha. Também não quero convencer ninguém que matar animais pra comer é crime porque, hey, cara, isso é a lei da natureza. Se nós não fizermos isso, tem outros animais que fazem isso todo santo dia. Até a vaquinha que comeo pasto tá matando um ser vivo – as plantas e os micróbios que lá vivem.

E, finalmente, escolhendo meu momento desse anime, tem que ser o Pork Bowl, o porquinho do Hachiken. Uma simples frase resume isso: “Você teria coragem de comer seu animal de estimação?“. Não é questão de ser vegetariana, vegan, ou qualquer outra coisa que as pessoas leram em Scott Pilgrim, mas é de se apegar à outro ser vivo e enfrentar essa dualidade moral: o instinto de todos nós animais e nossa parte que nos caracteriza como “humanos”: a racionalidade e a mistura de emoções. Olha pro seu gato gordo. Seu cachorro. Seu passarinho, ou seu peixinho. Você teria coragem de, depois de cuidar dele com tanto zelo, mandá-lo embora pra voltar fatiado…?

Advertisements

2 thoughts on “12 Dias de Anime – 7º dia: “Dos Dangos ao Bacon”

  1. Raigho, nem me fale na cena do trem, jesus amado. ç.ç
    Meu coração fica apertado só de lembrar dela!
    Clannad After Story me marcou muito também, tantas cenas fortes… Eu chorei muito pela Ushio, porque eu também perdi a minha mãe e também vi o meu pai sofrendo por isso, enquanto eu mesmo sofri com isso em silêncio pra não preocupar ninguém (igual a cena dela dizendo os lugares que ela podia chorar). É o anime mais lindo que eu já vi, duvido que façam algo tão bom como ele (tinha esperanças com Refrain, mas é uma pena que não teve os 2 cours e pra desenvolver todo bonitinho igual o After Story).

  2. Saudações

    Falar de Clannad remete às lágrimas…
    Não tem jeito. Não há como ser diferente disto.
    Ainda mais Clannad After Story, uma preciosidade dos drama-animes, sem dúvida alguma…

    E Silver Spoon foi honesto ao extremo.
    Obra digna e muito recomendável. O jovem Hachiken que o diga!

    Até mais, nobres!

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s