12 Dias de Anime – 5º dia: “Do Zero ao Diário do Futuro”

12 days of anime

Auuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu~

Nyan.

Não… Não é a mamãe!

O grande Scamp do TheCartDriver realiza há 5 anos esses 12 dias comemorativos, onde ele comenta sobre determinada cena, algo que o tenha inspirado ou uma coisa marcante ocorrida em vários animes! Não é limitado só aos anime desse ano, qualquer anime é válido! E como seu humilde convite é aberto a todos que desejem participar, aqui estamos nós. Eu e a Marcela durante os próximos dias comentaremos sobre aquilo que nos emocionou, incentivou e encantou em determinados animes; tal como o convite do Scamp, sintam-se livres para comentar e deixar seus momentos marcantes nos comentários. Compartilhem conosco suas ~experiências~ animísticas.

Who let the dogs out~ (8)

Fate/Zero – Raigho

Fate-Zero-2

Bromance é algo extremamente másculo. Sabe, tipo, aquela amizade máscula que de tão máscula é máscula que é máscula que acaba sendo fodamente máscula que de tão máscula é a definição em vida de máscula? Então, a relação Rider/Waver é o exemplo perfeito.

Fate/Zero foi extremamente superior a “Stay Night” até pelo fato do estúdio que fez a adaptação dessa vez ter sido o Ufotable(fora uma direção decente), mas não bastasse isso temos revelações do passado que culminam em Stay Night e personagens bem mais cativantes! Mas vamos falar da amizade tão singela entre o Rei das Conquistas/Waver; a estranha relação que surgiu durante esta Guerra pelo Graal é uma das mais bonitas e interessantes que eu conheço, um garoto sem coragem e o Rei que deseja conhecer o Okeanus! Todo o desenrolar disso, as interações engraçadas, os pontos de vista e as lições de moral fazem dela uma amizade incrível.

A conclusão desse relacionamento é na batalha final do Ridernesse momento Waver deixa de ser o Mestre, ele é apenas um seguidor de seu adorado Rei… Durante sua caminhada final, Rider sabe que não vai vencer por isso deixa Waver incumbido de contar esta bela história para as futuras gerações, foi uma morte digna do maior dos reis. Mas o ponto alto é quando o Gilgamesh caminha em direção ao garoto e pergunta se ele não vai desafiá-lo, Waver simplesmente retruca que ele é fiel ao seu rei e precisa viver; um gesto corajoso que até o Rei dos Reis reconhece.

Uma das melhores cenas em tempos.

Mirai Nikki [Diário do Futuro] – Marcela

376611Quem disse que os animes escolhidos precisam todos ser obras primas com qualidade incríveis?

Pera, pera, pera. Não tô dizendo que Mirai Nikki não é uma obra prima. Com todo respeito, eu gosto muito de Mirai Nikki, sou assinante do mangá pela JBC inclusive (que esqueceu de mandar o meu volume número 8, malditos). Só que Mirai Nikki não é aquele tipo de anime que você elogia pela direção… O roteiro inteligente… Os personagens que fazem algum sentido… Ou a qualidade impecável da animação.

Mirai Nikki me ensinou que toda obra pode ser apreciada se você assistí-la da maneira correta. Você não pode assistir Evangelion esperando somente ser graciado com momentos inesquecíveis de comédia. Não dá pra assistir Infinite Stratos com expectativas de uma história tocante. Não dá pra assistir Valvrave com… Tá, Valvrave não dá pra assistir. Mas, voltando à Mirai Nikki… Aprendi que alguns animes você só assiste com os olhos. É só desligar o cérebro e curtir a viagem.

Pra resumir essa ideia… Quem não lembra da cena épica da Yuno medindo o peso do tomatinho PERCEBENDO que haviam sido injetados alguns míseros ml’s de veneno? Ou, quem sabe, da hipnose completamente sem explicação do número 12? As motivações vazias do número 10, a não ser sua obsessão por cachorros? A disparidade de capacidade de diários entre o Rei, cujo diário só mostra três previsões para o dia, e do número 11, que lê todos os outros diários?…

Enfim. Hoje em dia eu assisto Mirai Nikki como se fosse uma comédia do mesmo criador de Working! e ServantxService. É tudo tão sem sentido, é tudo tão altamente forçado de uma maneira maluca que eu morro de rir. Meu momento de verdade desse anime tem que ser o do tomatinho. Tava assistindo esse episódio e falei pra mim mesma: “Essa moleca é da SWAT, MIB, Sherlock Holmes, tudo junto.” Não reparo nem quando eu perco peso, imagina reparar em um tomate envenenado.

Te amo, Yuno, sua maluca sem noção.

Advertisements

7 thoughts on “12 Dias de Anime – 5º dia: “Do Zero ao Diário do Futuro”

    • Meu senso de humor é curioso por si só. Mas experimente assistir Mirai Nikki prestando atenção nos exageros. É muito, muito engraçado de tão estúpido que é.

      • Todos adoram Mirai Nikki porque todo mundo gosta de ver uma yandere insana massacrando gente mais insana ainda. hahaha
        Todo tipo de história em que um grupo de pessoas são obrigadas a se enfrentar num jogo de vida ou morte, sempre me interessa… Pode ser do mais inteligente e interessante pro mais idiota e sangrento, sempre me atrai. ‘-‘

        Mas gostei muito do que você disse à respeito de assistir o anime pelo que ele propõem, a minha visão sobre animes é igualzinha. Sempre que vou assistir algum anime, eu tento primeiramente entender qual é a sua proposta e assisti-lo com olhos pelo que ele propõe, se ele cumprir bem com a sua proposta é muito bom, se ele exceder as minhas próprias expectativas e levar aquela proposta pra um outro nível, então é fantástico.

  1. Terminei de assistir kyoukai no kanata hoje e ele já me marcou. Quando terminei de assistir fiquei pensando sobre o passado da kuriyama mirai e comecei a pensar sobre o meu passado também.
    Eu vim de uma família pobre e nasci em uma cidade no meio do mato(não é exagero, eu realmente nasci em uma cidade que fica no meio do mato). Quando ainda era bebê minha família se mudou para a cidade do Rio de Janeiro. Viemos morar em uma casa da aeronáutica(já que meu pai era militar). Porém nos só poderíamos morar nessa casa -que era toda fudi**- até meu pai se aposentar, só que meu pai estava prestes a se aposentar,então…. a coisa ia ficar feia. Juntando dinheiro para pode comprar ou alugar uma casa boa para podermos morar, a economia era máxima. Passei fome alguns dias por não ter o que comer. Eu sofria bullying na escola por ser pobre mas não contava para não trazer mais problemas ao meu pai.
    Mas enfim, não estou aqui para falar do meu passado, mas sim de porque esse anime me marcou. Eu percebi que a kuriyama teve um passado ruim e doloroso, entretanto ela teve forças para superar o que havia ocorrido, mesmo não sendo fácil, ela teve ajuda de seus amigos. No final das contas eu acabei me identificando com ela por causa da vida que levei. Eu posso dizer que sei como é querer que tudo na sua vida fosse diferente… Querer mudar erros terríveis que ocorreram no passado que poderiam fazer a diferença hoje. Hoje eu até dou gargalhadas com meus amigos falando do passado. Claro que houveram momentos de alegria, só que os de tristezas são os que sempre me vem a memória.
    Por mais de tudo, esse anime me fez lembrar do meu passado. Me fazendo sorrir… chorar… e perceber que por mais de TUDO, eu não preciso ficar preso ao passado. O que importa é que hoje eu sou feliz.

    PS: até fiquei emocionado digitando isso ^^

  2. “Mirai Nikki me ensinou que toda obra pode ser apreciada se você assistí-la da maneira correta.” eu aprendi a não esperar mais nada nos finais de anime ou filmes. kkkkk

    • Animes assim tem uma fórmula pra atingir o meio mais “popular”. Tem gente morrendo o tempo todo, já tem uma pegada “dark” pra alguns. Uma menina louca, introduziu o estereótipo yandere pros brasileiros… Enfim, esses tipos de apelos que pegam a maioria mas que não encantam quem vê um pouco mais. Igual SAO e Shingeki, igualmente medianos/ruins, mas sabem se vender.

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s