Entrevista com Nisio Isin e Akiyuki Shinbo!

animepaper.net_picture_standard_anime_bakemonogatari_artists_vofan_hanekawa_vofan_256091_slamence_preview-c9aa6591

Ó gloriosa internet obrigado por essas notícias.

Graças a minha amiga (@Beta_blood) encontrei uma entrevista do ano passado com o Nisio/Shinbo! Me esforcei o melhor que pude para traduzi-la, leiam e comentem! Lembrando que essa entrevista é do ano passado, 2012.

Entrevista com as Lendas

Pergunta (P): Qual é o segredo por trás de Nisemonogatari, a sequência do fenômeno Bakemonogatari?

Nisio (N):  Eu tento visitar o set de Nisemonogatari sempre que possível. Não que eu realmente faça algo quando apareço por lá, só desfruto da atmosfera e vou embora para casa (risos).

Shinbo (S): Fico grato por você sempre trazer algum lanche para nós (risos). Ele pode até realmente não fazer nada, mas diversas vezes pergunto a ele sobre pronúncias ou entonações que os dubladores devem fazer. Eu tomo muito cuidado para garantir que as palavras originais que ele escreveu sejam “traduzidas” pela voz do dublador de modo exato. Sinto que se mudasse qualquer palavra do autor estaria tirando o sentimento único produzido pela Novel. Adaptações de qualquer Novel são um convite para os telespectadores fazerem comparações, desde diferenças na história a até mesmo cenários e coisas assim. Eu realmente não quero depender de mudanças como essa para chamar a atenção. Meu objetivo é criar algo verdadeiramente interessante.

N: Meu livro não foi feito para ser lido em voz alta, então acho que adaptá-lo para o formato anime exija esforço. É por isso que fico realmente feliz quando os dubladores estão lendo minhas palavras originais, sem mudança nenhuma, direto da Novel.

Eu costumo visitar as sessões de gravação porque quero que o diretor e todos os outros me energizem. Um Novelista trabalha sozinho em seu local de trabalho pessoal, certo? Mas um anime é criado em um lugar social, com diversas pessoas. É divertido para mim participar desse processo criativo ao invés de ficar de braços cruzados observando.

S: Nós não falamos tanto assim de trabalho (risos), mas eu fiquei sinceramente impressionado com o Sr. Nisio durante a criação dos comentários dos personagens para o lançamento do DVD/Blu-Ray de Bakemonogatari. Ele frequentemente olhava o script e me perguntava coisas como, “Quantos segundos isso vai levar?” Ele tem esse jeito próprio de se envolver com algumas partes, algo que acredito não esteja relacionado com o lado Novelista dele. Eu penso que os comentários dos personagens que ele fez para o último DVD/Blu-Ray ficaram uma obra-prima.  Essa não é a primeira vez que trabalho adaptando uma Novel, mas é a primeira vez adaptando uma Novel de forma tão precisa. A grande diferença entre adaptar um mangá e uma Novel é que na Novel, não existem muitos cenários, então você precisa construir todo o visual de cada cena do zero.

N: Enquanto assistia o Episódio 1 de Bakemonogatari, até mesmo eu fiquei surpreso com o design de coisas como a escada em espiral e do cursinho abandonado. Eu sou o autor da série! Nesta Novel, estou limitado a descrever as coisas do ponto de vista do Araragi, então não existem muitas cenas onde eu possa descrever o cenário. O anime transformou a estrutura do meu mundo escrito em algo muito mais vivo. Me ensinou coisas que nem eu mesmo sabia. 

S: Acho que a principal coisa que fez da adaptação de Monogatari um sucesso foi que o Sr. Nisio não achou nada de “errado” ou “estranho” com a direção visual do anime. Os trabalhos do Sr. Nisio se distinguem por suas longas conversações, jogos de palavras que eu não posso retirar. Especialmente em Nisemonogatari, houveram diálogos bem desafiadores, até mesmo se compararmos com as outras Monogataris.

N: Você pode chamar Nisemonogatari de uma Novel feita só de conversações (risos). Eu tentei criar uma história apenas de conversações, conversações que pensei que os personagens precisavam ter. Na verdade eu pensei que tinha acabado Monogatari Series quando finalizei a segunda metade de Bakemonogatari. Então, Kizumonogatari surgiu no meio disso tudo e eu pensei comigo mesmo, “Bem, esse é o segundo livro de Monogatari Series.” Quando eu acabei Nisemonogatari, pensei, “Bem, esse é o terceiro livro…” (risos).

Após isso, eu escrevi Nekomonogatari (Shiro), na qual ocorre o suposto começo da segunda fase. Após isso, eu me senti inspirado pelo anime a continuar a expandir o mundo e todos os detalhes de Monogatari Series. Quando escrevi Bakemonogatari e Kizumonogatari, uma adaptação para o formato anime não passava de um sonho distante. Eu escrevia tudo pensando na Novel em si. Eu não diria que Nisemonogatari nem nenhuma das outras Novels da série é indicada para ser adaptada ao formato anime. Digo, eu decidi criá-las para serem justamente difíceis de se adaptar. Deduzi que o Sr. Shinbo fosse capaz de lidar com isso (risos).

S: Houveram algumas cenas de conversação bem complicadas,  foi bem difícil dar a elas uma boa sensação de movimento, em cenas que praticamente não ocorre movimentação alguma. Por exemplo, cenas com os personagens conversando na rua são até práticas, mas todos nós tivemos dificuldades para saber como adaptar cenas de conversação como naquela em que o Araragi conversa com a Shinobu na banheira ou na qual ele conversa com a Kanbaru Suruga no quarto dela.

N: Eu fiquei realmente surpreso com a direção visual. Eu não me canso de olhar as cenas. Digo, dê só uma olhada na casa do Araragi. É tão incrível, como se a casa em si fosse um Kaii… (risos). Existem muitas cenas sem nenhuma movimentação em Nisemonogatari porque eu queria enfatizar a visão dos personagens. Uma mudança no cenário representa uma passagem de tempo ou crescimento pessoal do personagem. O visual realmente passa a mensagem de amadurecimento e crescimento pessoal.

S: Acredito que se compararmos com Bakemonogatari, Nisemonogatari tem uma inclinação muito maior para o fanservice. Isso me estimula a trabalhar ainda mais com cada personagem apresentado em Bakemonogatari. Estou colocando eles sob os holofotes, um a um.

N: Eu tento fazer com que cada trabalho meu seja diametralmente oposto ao que antecede ele. Bakemonogatari e Kizumonogatari são opostos, assim como Kizumonogatari e Nisemonogatari. Isso porém não quer dizer que Bakemonogatari e Nisemonogatari são iguais.  Elas definitivamente estão em sentidos opostos. A única coisas comum a todas as Monogataris é que jamais escrevo elas por obrigação. Quando eu começar a escrever por qualquer motivo que não seja meu interesse, esta série vai acabar (risos). Eu ainda acho inacreditável quantas pessoas gostaram das minhas Novels escritas excentricamente.

S: Quando li Bakemonogatari pela primeira vez, pensei comigo mesmo no quão divertido ela era. “Eu posso fazer uma adaptação para o formato anime disso, fico feliz que ele tenha vindo parar em minhas mãos,” esse foi meu pensamento. Fico realmente feliz por essa adaptação não estar nas mãos de outra pessoa. É um sentimento complexo, sei disso, mas não consigo evitar de pensar que outra pessoa poderia ter feito essa adaptação melhor do que eu. Mas, muitas das pessoas que trabalham conosco são fãs do trabalho do Sr. Nisio, então a decisão foi unânime. Quando o volume 1 do DVD foi lançado, nós sabíamos que tínhamos criado algo incrível. Combinando embrulho e design, tínhamos certeza de que estávamos com algo especial em mãos.

N: Eu nem consegui me aproximar do Volume 1 do DVD no dia do lançamento, embora eu seja o autor da obra (risos)! Eu corri da minha casa até quase desmaiar, mas em todo lugar estava esgotado. Eu não consegui uma cópia sequer.

S: E isso não é ótimo (risos)? Acho mesmo que a direção visual do SHAFT e os trabalhos do Sr. Nisio sejam uma combinação perfeita. Isso é só uma pensamento tendencioso da minha parte, mas se você unir “NISIOISIN” com o nome do ilustrador “VOFAN“, nós temos “SIN-VO“, o meu nome praticamente! Quando eu vi isso, sabia que tudo ocorreria bem (risos). Esta também é uma piadinha ao estilo Nisio Isin.

N: Eu pensei em diversos nomes, mas só posso entender isso como algum tipo de coincidência miraculosa. Meu objetivo é ter dez adaptações para o formato anime! A versão filme de Kizumonogatari é a quarta, ela vai estrear antes que vocês percebam!

S: Bem, aí está, sua manchete (risos). Nós vamos nos esforçar ao máximo para alcançar as Novels. É hora de transformarmos nossa promessa em realidade. Estamos todos entusiasmados. Espero que o Sr. Nisio escreva o script para a adaptação comemorativa de seu décimo trabalho!

Entrevista impressa originalmente na SWITCH, Vol. 30 Nº 2 (Fevereiro de 2012), por Niimi Nao e Yonemura Tomomi. Traduzida por Raigho na versão em português.

Fonte: Akirascuro/Nisio and Shinbo 

Advertisements

5 thoughts on “Entrevista com Nisio Isin e Akiyuki Shinbo!

  1. Just wanted to say, thanks for translating this! I don’t understand Portuguese, but it was quite readable when I ran it through Google Translate.

  2. Nisio escreve muito bem, com certeza ele tem uma criatividade incrível!

    Shinbo com certeza esta fazendo um ótimo trabalho com monogatari, foi um pouco difícil se adaptar no começo as telas com diálogos que piscam, mas ficou muito bom.

  3. Interessante saber o que os criadores acham de suas obras. Já o sentimento deles ante o sucesso da coisa toda é algo que só dá pra imaginar: devem sentir um orgulho danado, e com razão, porque o negócio ficou baum d+!

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s