Semana Monogatari 7º Dia [Final]: Monogatari – “Raison d’être “

Semana Monogatari 7° Dia

Auuuuuuuuuu~

Nyan~

A semana definitiva, a semana do surto, a semana da Monogatari!

Raigho: Chegamos ao final dessa semana que foi cheia de emoções, com curiosidade, cronologia, dubladores, entrevistas e tudo o que Monogatari tem direito. Eu… Eu pensei sobre o que deveríamos falar no último dia, sobre qual assunto… E… E sei sobre o que vamos falar. Sobre a razão de termos nos encantado com Monogatari e suas melhores partes em nossas humildes opiniões.

Marcela: Sabemos que Monogatari não é algo que encanta todos que assistem, mas que a alguns acaba encantando excessivamente (como podem ver nós dois aqui uma semana inteira falando sobre a mesma coisa) e eu e o Raigho gostaríamos de compartilhar com vocês, fãs e não tão fãs, porque essa série de light novels e anime nos atraiu tanto. Esperamos conseguir passar, não só com esse último dia mas com toda essa semana que se passou, o mesmo sentimento que essa obra nos proporciona.

Bem-vindos senhoras e senhores, damas e cavalheiros!

Bem-vindos ao maior dos surtos, ao ápice dessa semana… aos sentimentos sinceros de 2 fãs.

QUE O SURTO ACABE!

“Monogatari – Crônicas de Kaiis”

“Monogatari” (Crônica/História/Conto) é uma Light Novel japonesa escrita por Nisio Isin e ilustrada pelo Taiwanês Vofan. O primeiro volume da Novel foi publicado no dia 1° de novembro e segue em publicação (Atualmente, contam ao todo 16 Novels). A série foi adaptada para o formato anime pelo estúdio Shaft. “Bakemonogatari” recebeu uma adaptação de 15 episódios, “Nisemonogatari” recebeu uma adaptação de 11 episódios, “Nekomonogatari (Kuro)” recebeu uma adaptação de 4 episódios e o estúdio tem planos para ainda esse ano adaptar toda a 2ªFase intitulada de “Zenmonogatari”.

Hora de começar!

Surtamos com Monogatari por seus momentos…

… Cômicos,

ss (2013-07-04 at 05.39.19) ss (2013-07-04 at 05.39.21) (1)Marcela: Monogatari Series é conhecido muito pelas suas piadinhas cheias de teor japonês e numerosos trocadilhos ao longo de seus episódios. Como dito pelo próprio autor, Nisio Isin, no nosso post do 6° dia, ele sempre tenta terminar cada página com um tom de humor e muitas das vezes não falha. Por mais que muito do humor se perca durante o processo de adaptação, que é uma grande dificuldade para aqueles que tentam realizá-lo por envolver muito elementos já impregnados nos japoneses mas que nos parecem distantes, seus diálogos excêntricos, extravagantes, estranhos e… bom, extremamente bizarros, sempre me trazem um sorriso no rosto. Citarei o momento mencionado acima nas imagens, o episódio 8 de Bakemonogatari no arco ” Macaco Suruga “, onde a referida assume ser lésbica – a reação do Araragi é simplesmente hilária. E, pelo menos eu, fui pega mais ou menos de surpresa. Lembro de ter pausado o episódio aí e ter ficado com a mesma cara que ele e um ” wha– ” não dito. Sorte que ninguém entrou no quarto e leu a legenda, se não… Bom, seguimos em frente…

Raigho: Monogatari como um todo é cômico, sempre foi. Cada diálogo, cada resposta atravessada tem seu humor ácido despejado como veneno; não apenas em seus diálogos mas também em cenas nas quais os personagens brincam com a expectativa do telespectador, em Nise por exemplo o Araragi diz que a Hachikuji tem uma calcinha “adulta” mas a garotinha retruca dizendo que na realidade a calcinha dela tem coelhinhos pois ela precisa atender a demanda do consumidor exigente… piadas que envolvem o próprio mundo otaku quebrando sempre a 4ª parede, uma outra coisa hilária foi o segundo episódio de Neko (Kuro) onde o Araragi faz chantagem com a Shinobu obrigando ela a latir/dar a pata como forma “merecimento” para que ela receba os seus tão amados Donuts; embora tenhamos cenas assim com humor descarado na verdade reside nas insinuações, nos pequenos diálogos… é tudo humor. É tudo ácido. É tudo Nisio Isin.

Dramáticos,

ss (2013-07-04 at 06.45.56) ss (2013-07-04 at 06.44.20)Marcela: Sim, o humor é ótimo e maravilhoso, mas não é só nisso que o mestre Nisio acerta – o drama de Monogatari também é executado na medida certa, de modo que eu não fique enjoada e comece a achar tudo muito ” forçado “, como a maioria dos animes que tendem para esse lado. Talvez não sejam histórias tangíveis, afinal, não conheço ninguém que tenha perdido todo seu peso para um deus ou que tenha sido amaldiçoada e estivesse sendo esmagada por cobras. Tá, acharam uma sucuri de 3m no meu condomínio, mas… Bom, isso não muda o fato de que não são histórias que podem ser levadas literalmente. Estão longe da nossa realidade pela sua consequência, mas as causas são coisas que estão presentes em nosso cotidiano, ao longo de nossa vida: aquela vontade de largar tudo, um amor não correspondido, problemas familiares. O drama de cada um dos personagens me parece real, verdadeiro… Faz você se envolver sentimentalmente com eles, não só pense ” poxa, coitadinha, ela tem um braço de macaco “. Eu fiquei bem dividida no arco da Kanbaru porque, ao mesmo tempo que queria que o Araragi ficasse bem e ” salvasse ” ela, encantei-me tanto com os sentimentos que a macaquinha tem pela Senjougahara que uma pequena parte de mim passou a também torcer por ela e que ela matasse o Araragi. … E deixasse ele pra Hanekawa, cof…

Raigho: Toda série têm seus “ápices emocionais” e com Monogatari não poderia ser diferente, cada urro de dor do Araragi, as lágrimas da pequena Hachikuji ao retornar para casa, a dor da Senjougahara pelos traumas familiares, o medo da Kanbaru de ferir os outros sem intenção, o silêncio de desprezo da Shinobu e o desespero ao desejar um herói de Hanekawa permeiam essa obra de forma marcante; sério, como não se emocionar quando a Hachikuji grita “Tadaima” por finalmente retornar? Quando a Senjougahara sorri e diz que o Araragi é seu amigo? Dentre tantos momentos ressalto o final de Kizu, aquilo me dói no fundo da alma toda vez que chego ao final e leio a promessa que o Araragi faz… é… é uma desolação inexplicável como eu me sinto sempre ao ler aquilo; são tantos momentos que me emocionam e me encantam… argh, Nisio seu cretino ;______________;

Reflexivos,

ss (2013-07-04 at 06.54.05) ss (2013-07-04 at 06.54.08) ss (2013-07-04 at 06.55.22) ss (2013-07-04 at 06.55.25)Marcela: Principalmente nas resoluções dos problemas apresentados em cada arco temos alguma reflexão feita pelo próprio Araragi ou alguma das meninas envolvidas. Mas essas reflexões não se restringem a esse 2D – acredito que com muito êxito elas conseguem chegar ao telespectador//leitor. Tá, sou muito tendenciosa pra falar isso, mas em Nekomonogatari (Shiro), cada capítulo, agora narrados pela Hanekawa, sempre me deixava pensando, muito mais intensamente quando ela mesma começava a se questionar. Ou nas afirmações que ela faz – tem uma que, por mais óbvio que pareça para alguns, eu não havia percebido até hoje: quando você entra em contato com algo, esse algo se torna mais frequente. O exemplo que ela dá é se você aprende uma palavra nova, essa palavra começa a aparecer em todo lugar, quando você lê, assiste TV… Percebi isso eu mesma quando meu pai trocou de carro, um carro que eu nem sabia que existia. De repente, passei a ver esse carro em toda rua, em todo lugar. O mesmo aconteceu quando ele trocou por outro carro depois – quase como se ele tivesse se proliferado, mas não, ele sempre esteve ali, mas a existência dele era tão distante para mim que até eu ter consciência dele, não havia percebido sua presença. … Meio louco, though.

Raigho: Monogatari me dói as vezes pela sinceridade crua, em Bake quando a Black Hanekawa explica ao Araragi como a sua Mestra vê ele, de forma idealizada, como seu cavaleiro montado no cavalo branco ele… recusa. Ele diz que não vai salvar ninguém, mas que ele pode morrer por alguém. O Araragi é humano, cruelmente humano, tristemente humano; ele nunca tenta fazer mais do que consegue porquê aceita suas limitações, aceita suas fraquezas mas mesmo assim se esforça ao tentar ajudar alguém; existem momentos como esse que me fazem amar loucamente Monogatari, um em especial é em Nise quando o Araragi discute o “valor familiar” quando a Yozoru grita que a irmã dele é um monstro, que a “Tsukihi” jamais existiu; de que el até poderia aceitar ela como um monstro mas e a família dele? E ele simplesmente responde “por eles serem minha família, vou forçar isso neles, forçarei eles a aceitarem isso”; onde o laço familiar supera toda e qualquer coisa.

Non-sense e…

ss (2013-07-04 at 07.01.06) ss (2013-07-04 at 07.02.00)

Marcela: Referências à cultura pop? Subjetivismo artístico? Shinbo? Como queiram chamar, Monogatari é cheio de non-sense, mesmo sem todos os recursos estilísticos do Shinbo, o texto das novels sozinho carrega essas excentricidades – o estúdio SHAFT só serviu como catalisador e intensificou ainda mais esse traço da novel. Tem alguns momentos que realmente precisam de uma interpretação visual mais apurada, enquanto há outros que… Bom. As imagens abaixo exemplificam o que quero dizer.

Raigho: Tantas coisas,  tantas piadas, tantas referências! Conversas sobre o que é amor, sobre como amor está à venda, sobre capitalismo e “2Deep4You”; tudo isso e muito mais é encontrado em Monogatari como parte essencial da série criada por Nisio Isin, referências a Madoka, Mario Bros., Olímpiadas… tantas coisas únicas! Alguns momentos até me perco, volto e olho novamente tudo aquilo que faz e define a obra… Ai ai, apaixonado eternamente.

… ” não faço ideia do que está acontecendo “.

ss (2013-07-04 at 07.02.52) ss (2013-07-04 at 07.08.46)

Marcela: Uh… Acho que as imagens explicam melhor do que eu, mesmo se digitasse páginas e páginas.

Raigho: Cenas como essa fazem com que eu fiquei em lágrimas, tão linda. Obrigado, minha santa Madoka.

Marcela: Despedidas, droga. Odeio despedidas e finais, muito muito. Até hoje não consegui ver o último episódio de K-On. Mas, acho que dá pra fazer isso… Certo. Agradeço imensamente por todo carinho e atenção que vocês tiveram por essa Semana especial e que tenham gostado tanto quanto nós gostamos de fazê-la. É um presente para os fãs de Monogatari e um convite para os que talvez ainda não tenham simpatizado com a série para que deem uma chance. Procuramos ao máximo explorar todo desse universo cativamente e trazer pra vocês com os nossos sentimentos a flor da pele em cada palavra. Não vou me prolongar muito mais aqui, então… Obrigada e continuem a visitar o blog diariamente, contamos com o apoio de vocês!

Raigho: Essa semana… ela surgiu de uma conversa entre mim e a Marcela, enquanto pensávamos “caramba, seria bacana algo sobre Monogatari antes da estreia”; pensamos em um “hype”, algo que fosse causar… e assim nasceu “A Semana Monogatari”; foi exaustivo, cansativo, árduo e infinitos adjetivos sobre cansaço… mas quem disse que não ficou lindo? Ficou sensacional esse nosso esforço conjunto, tudo por Monogatari. Monogatari não é um anime, é um estado de espírito meu. Monogatari é felicidade. Monogatari é onde meu coração fica radiante. Monogatari é onde eu aprendo um pouco mais sobre o mundo de forma diferente. Monogatari é minha vida. Por isso, por tudo isso amanhã (ou quando sair Zen) eu vou urrar, berrar, rugir, gritar tudo ao mesmo tempo para que o mundo saiba dessa obra, saiba do Nisioisin.

E não pensem que o surto acabou! Nós, do OtomeGatari, iremos comentar Zenmonogatari semanalmente através dos ” Comentários Zenmanais™ “!

Advertisements

3 thoughts on “Semana Monogatari 7º Dia [Final]: Monogatari – “Raison d’être “

  1. Saudações

    E o especial de sete dias encerrou-se. Devo dizer, um trabalho muito digno este o realizado por vocês, :arcela e Claudionor.

    Que venham agora os comentários semanais desta obra.

    Até breve, nobres.

  2. Fico imaginando o trabalho que deve ter dado pra realizar oque havia planejado.
    É muito difícil conseguir pessoas que se esforçam pelo mesmo objetivo, mas mesmo com apenas duas pessoas vocês conseguiram fazer um ótimo trabalho, e acho que no fim, todos podemos dizer que valeu a pena :D.

    Talvez oque deu uma puta motivação pra vocês foi pq a série comentada foi Monogatari, e eu particularmente, admiro coisas feitas quando as pessoas gostam de fazer aquilo, porque, não há nada melhor do que fazer daquilo que gosta.

    Ansioso pelos Zenmanais.

  3. realmente, estão de parabéns. Ainda mais que, graças a voces, consegui entender “totalmente” a série, e amar como voces amam. Incrível xD

Dê sua opinião!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s